Cenas de verão

O verão é meio tímido na terra dos vikings e é daquele tipo que não gosta de chegar causando e ser o centro das atenções. Muitas vezes o verão faz um acordo com São Pedro e resolve não dar as caras por aqui. E é aí que São Pedro se sente o dono do pedaço, enviando dias chuvosos, vento gelado e com temperaturas em torno de 12 graus.

Só que o verão ainda não se deu conta de que ele é mais do que esperado pelos suecos. É tipo o boy magia, sabe?! Tão lindo, tão desejado, tão idolatrado, tão de tirar o fôlego… é aquele tão tudo, que é até difícil de descrever de tão bom que ele é.

Mas por outro lado, às vezes São Pedro é meio sueco também, porque ele enche a cara de cachaça, perde a noção das coisas e manda o estagiário supervisionar. E o resultado não poderia ser diferente: dias longos e noites curtas, temperaturas agradáveis, céu Smurf (bem azulzinho), suecos felizes e falantes e um sol que se entrega de corpo e alma… todo radiante, exibido e ardido.

Agora pegando tudo isso, colocando num liquidificador e batendo com Gotis City, resultará numa cidade infestada de eventos, shows, passeios e turistas brotando por todos os lados.

Portanto, é o período que muitas atividades acontecem e até citei algumas delas como: Midsommar 2012, O que é Partille Cup?, MDNA 2012 e “Like a Virgin” juntinhas, Världsungdomsspelen, Gothia Cup é a bola da vez, Alice Cooper, Way Out West Festival, Göteborgs Kulturkalas 2012, Doggy Professional Agility Cup 2012, O que é que a Lotta tem? e Göteborgs JazzFestival. É claro que a lista é muito maior do que isso, mas esses foram os eventos e shows dos quais eu participei ativamente esse ano.

Além dessa agitação, os turistas também podem se divertir com o Sightseeing, seja de trenzinho, Paddan (barquinho) ou ônibus.

Mas precisa ser turista paciente, porque em dias ensolarados o Paddan é o mais disputado.

Tem gente da concorrência que não se intimida e caça turista na fila do Paddan, como esse mocinho da Hop On Hop Off todo simpático e sorridente raptando uma mãe com seus filhos.

Há dias em que o trânsito fica congestionado e arrumar uma vaga para estacionar torna-se quase impossível. Aí eu me pergunto onde estão os flanelinhas quando se precisa deles? 

E como verão é sinônimo de férias, alguns estabelecimentos menores fecham suas portas e estampam avisos de quando retornarão e essa sinalização pode acontecer até em papel de pão.

Até o jornalzinho METRO entra no oba oba e apenas edições extras entram em circulação.

Além disso, tem gente que aproveita esse período para viajar com a família e não apenas de avião ou num carro convencional. Que tal alugar um trailer, enfiar todo mundo no cafofo e se aventurar por aí? Esse é o período que mais trailers chegam e saem ao mesmo tempo da cidade e as cenas até lembram coisa de filme americano.

Mas tem aqueles que preferem vir de barco da Alemanha para Gotemburgo. Agora, pendurar as bicicletas da tchurma num rack atrás do barco é a primeira vez que vejo.

Para aqueles que não conseguem tirar férias, mas não abrem mão de aproveitar um solzinho, o jeito é se contentar pelo canal durante o horário de almoço.

Mas se quiser sentar num lugar mais confortável tudo bem, a maioria das cafeterias e restaurantes disponibilizam mesas e cadeiras do lado de fora. Um lugar perfeito ao sol, porque ficar enfurnado num clima assim ninguém merece, né?!

E para entreter os pimpolhos dos primeiros passos, os suecos podem levá-los a essa piscininha pública que fica localizada no bairro de Majorna. O mais inacreditável é que não é nenhum clube ao estilo SESC e essa piscina fica na rua mesmo.

Outra coisa que acontece muito no verão é ver pelo céu de Gotemburgo balões coloridos ao entardecer e um Zeppelin trazendo muitas propagandas diárias.

No bairro de Haga é possível encontrar músicos e bandinhas espalhados pela rua aos finais de semana. Assim dá para curtir um café e ouvir um sonzinho ao mesmo tempo.

E o transporte da cidade ganha um ar retrô com o funcionamento da linha 12 que circula somente no verão. O destino: Liseberg.

Os mercados não ficam de foram e se preparam para a celebração do verão sueco: grelhas de churrasco descartáveis, cestas de piquenique, acendedores para churrasqueira na versão líquida e segura e todo apetrecho que lembre praia, sol e calor. Mas cadê a praia?

O verão é tão sueco, mas tão sueco que até kits de sacola contendo churrasqueira descartável e COBERTOR estão à venda. Acho que dá para sentir o drama de como é a temperatura por aqui, né?!

Mas uma das coisas que mais me chamam a atenção é como os suecos, ou melhor, as suecas ficam extremamente laranjas nessa época. Se pintassem o cabelo de verde e saíssem pelas ruas, seriam facilmente confundidas com cenouras ambulantes.

Será que o sol que faz isso ou é a genética? Nada disso. São os autobronzeadores somados a total  falta de bom senso. Não basta passar apenas uma vez, precisa lambuzar, passar novamente e se relambuzar mais um pouco. Será que já está laranja o suficiente? Que nada. Precisa repetir o processo de novo. Agora sim, todo mundo laranja e bonito para o verão.

O verão praticamente acabou e deixou muitas saudades. Mas o lado bom pra mim é que eu tenho duas estações de verão por ano (Suécia e Brasil) e por isso minha escala de felicidade é maior.

Vi ses… hej då! ;-)

6 pensamentos

    1. Taís!
      Foi uma pena você não ter conhecido o verão sueco aqui de Gotemburgo, pois tenho certeza de que iria gostar muito. Ainda bem que o friozinho esse ano tirou férias em alguns dias também e ajudou a deixar todos os suecos felizes. Muitas saudades de você também e mais saudades ainda de quando a gente tomava um cafezinho. Espero que possamos repetir isso logo! Beijos

  1. Haha, gostei desse “resumo visual” do verão Sueco. Está quase tudo aí, só faltam mesmo os morangos de que eles tanto se orgulham! 😀

    Você vai ao Brasil durante o Inverno Sueco?

    Beijo

    1. Difícil resumir o verão sueco em apenas um post já que são tantos acontecimentos e tentei colocar tudo que vivenciei aqui em Gotemburgo. Porém, foi uma pena eu ter esquecido de colocar os morangos e olha que eu tenho foto disso também.
      No final do ano estou indo ao Brasil para curtir o verão lá e é claro que fugir do inverno escuro sueco. Assim dá para recarregar as energias novamente.
      Beijinhos

Faça a teimosa feliz. Comente!