Naturhistoriska Museum: o museu de história natural

Não precisa ser nenhum gênio da lâmpada para sacar de cara que Naturhistoriska Museum nada mais é que o Museu de História Natural aqui de Gotis City. Ele foi inaugurado em julho de 1923 e custou cerca de 1.6 milhões de coroas suecas (cerca de 400 mil reais).

Morando aqui há 1 ano e meio, eu nunca me entusiasmei muito em ir até esse museu, mesmo estando numa ótima localização – dentro do parque Slottsskogen – e com um precinho super amigável, já que o ticket sai a SEK 40,00 (R$ 13,00) e ainda dá direito a conhecer mais 04 outros museus da cidade.

A verdade nua e crua é que não sou muito fã de ver animais empalhados e talvez esse seja o real motivo porque eu adiei tanto. Gosto de vê-los na natureza, ao ar livre, sem lenço e nem documento. Só que por outro lado, deixar o espírito do Crocodilo Dundee baixar em mim ainda continua fora de cogitação.

Como esse é um dos museus que muita gente gosta de visitar e que absolutamente ferve durante o verão, eu tive de ir lá pessoalmente conferir e tirar minhas próprias conclusões.

Eu e o maridão fomos num sábado qualquer, compramos nossos tickets e… pausa… yummy cheirinho de café no ar. Nos entreolhamos e como numa sintonia falamos Vamos tomar café primeiro? E lá fomos nós!

Paramos na cafeteria do museu e aproveitamos para forrar nossos estômagos com uma deliciosa tortinha de chocolate e um café bem quentinho.

Terminada a pausa do nosso coffee começamos nossa jornada “naturinska”. A primeira parte é dos insetos, que eu não tirei foto, seguida de todas aquelas coisas de melequinhas do mar.

Ou seria melecão, como esse molusco gigante (Jättemussla) encontrado no Oceano Índico.

Ainda na parte do mar vimos um Pirarucu e só tirei foto porque a plaquinha fazia referência não somente à Colômbia, mas ao Brasil também, especificamente ao Rio Amazonas.

 

Já na parte dos répteis muitos pais e crianças dominaram completamente o espaço. E olha que até havia suequinho com camisa do Brasil. Como não gostar, hein?

 

Réplicas de dinossauros, baleias, tartarugas entre outras coisas também fazem parte do repertório.

    

E um quadro que não entendi bem do que se tratava, mas se está ali algum motivo deve ter. Adorei o modelito e por isso ele aparece aqui também.

Eu me arrisco a dizer que é um acervo bem diversificado, já que há muitas espécies de diferentes partes do mundo. Mas o que eu gostei mesmo foram das corujas. Alguns dizem que é sinal de mau agouro ter coruja por perto outros dizem que é sorte. Mas eu não acredito nessas coisas de crendice popular, porque eu realmente gosto delas.

  

Não somente eu gosto, como as borboletas também. Olha só que belo disfarce de coruja!

Mas a atração mais bam-bam-bam fica por conta do enorme elefante localizado no salão principal e sem dúvida alguma o porpetinho aí é o cartão postal do museu.

Mas afinal de contas qual foi minha conclusão? Posso dizer que gostei da experiência, mas uma vez basta e acho que não devo voltar tão cedo. Na minha humilde opinião o ambiente é ideal para crianças mais crescidinhas e para quem se interessa pelo assunto. Outra coisa é que TODAS as identificações estão em sueco, ou seja, Nothing in English. Então, talvez seja mais indicado para os turistas suecos, para quem domine o idioma ou realmente para quem queira entreter os pimpolhos.

Vi ses… hej då! ;-)

8 pensamentos

  1. ahahhahahaha, adorei a foto D.I.V.A do carinha la, ja valeu pelo museu inteiro, fala serio!Tambem fiquei curiosa pra saber o porquê de tanta altivez,rsrs!!!
    beijoooooooooos

  2. Vânia eu fui nesse museu mas foi lá em Stockholm e adorei, pelas fotos acho que os dois museus são bem parecidos, vale a pena o passeio:)
    Bjos e bom final de semana

  3. Hehe, confesso que apenas visitei o Naturhistoriska em Estocolmo porque fui convidada… porque sinceramente não sei se me animaria a fazê-lo espontaneamente… Ver animais empalhados não é bem a minha atividade preferida de todos os tempos! 😉

    “Vamos tomar café primeiro?” É assim mesmo que a minha cabecinha funciona! Pena que o meu viking não goste de café nem de bolo, buá.

    Beijos

    1. Eu nunca tinha visitado um lugar como esse antes, nem mesmo quando eu era criança. Mas como tudo nessa vida tem uma primeira vez, acho que valeu a pena a experiência, porém, uma única vez foi o que bastou para mim.
      Beijos.

  4. Oie!
    Adorei o tour pelo “Naturhistoriska Museum” e tenho que concordar com você que prefiro ver os bichinhos vivinhos mesmo. Aliás adorei o modelito do Tiozão… hahaha.
    2 bjos

Faça a teimosa feliz. Comente!