Me rendi, degustei e acho que gostei

No mês passado eu contei no post Semla: fazendo o seu dia mais gordinho um pouco sobre essa tradição sueca de comer semla nessa época ano. Para mim o desejo de saboreá-lo ainda estava enterrado bem lá no fundo da minha alma e aquela vontade louca de experimentar continuava passando bem longe da minha porta. Só que isso não durou muito tempo, porque fui “apunhalada” pelas costas pelos desejos insanos do maridão de experimentar o tal.

E quem disse que ele se contentou em dividir um comigo? Que nada! O danadinho trouxe para casa não apenas um, mas duas gordices dessas.

E aí que não teve jeito e tive de me render à degustação desse pãozinho pra lá de gordinho e finalmente tirar minhas próprias conclusões. E sabe qual é? Esse trem aí não é todo ruim.

Tipo assim, não é nenhuma Brastemp e nenhum boy magia flertando com você na balada. Agora o recheio de pasta de amêndoas é algo dos deuses… é tipo o Tom Cruise e você numa ilha deserta, sabe? Uma delícia! Por outro lado, eu tive de dispensar grande parte do vispgrädde (chantilly), porque achei a quantidade exagerada por demais. Acho que só um pouquinho já estaria de bom tamanho.

Outra coisa é que fugi totalmente a regra de como se deve comê-lo. Geralmente as pessoas por aqui comem com o bocão espalhafatosamente aberto e em questão de poucos minutos. Para quem me conhece sabe que eu sou um pouquinho fresquinha e nojentinha também com essas coisas. E para não me melecar inteira e nem sujar a ponta do nariz com chantilly, resolvi comer primeiro a tampinha e depois saborear o restante do pãozinho com calma. Afinal de contas eu sou menina e ainda tenho bons modos.

Mas o mais importante é que agora finalmente eu tenho minha própria opinião a respeito do semla. Definitivamente me encaixo no grupo de pessoas que provou, gostou, mas não amou e acho que comê-lo uma vez por ano é mais do que suficiente.

Guloseima degustada e conclusão finalizada.

Vi ses… hej då! ;-)

6 thoughts

  1. Eu gosto com muito grädde. Sou gorda mesmo, tem jeito não. E eu tb como assim, primeiro a tampinha, depois o restante,

    Contando os dias para o nosso reencontro!!!

    Bjo

    1. Até parece que você é gorda… de jeito nenhum!
      Também estou super animada para o nosso reencontro e tomara que não esteja muito frio.
      Beijos e até lá.

  2. Oi Vânia!
    Eu comi apenas duas vezes esse ano. Ainda é meu doce de padaria favorito na Suécia. Adoro todo o chantilly, quase passo mal mas eu me acabo! Hahahaha…
    Depois vou lá no blog reclamar que estou gorda…
    Beijos!

    1. Confesso que esse não foi e não é meu doce favorito daqui. Talvez esse exagero desse chantilly me deixe um pouco enjoada. Se eu tivesse de escolher entre o semla e o kanelbulle… eu ainda ficaria com o kanelbulle.
      Beijos

  3. Na primeira passada de olho, o tal pãozinho me pareceu uma batata. 🙂
    Lembra um pouco nosso sonho de padaria? Também achei um exagero essa quantidade de “chantilly”, mas acho que eu comeria tudinho. Beijos

    1. Na verdade ele não lembra em nada o nosso sonho de padaria, que por sinal é bem docinho no Brasil. A única coisa doce do semla é a pasta de amêndoas mesmo, porque o chantilly daqui não tem açúcar e a massa chega a ser quase neutra. Pra mim valeu a experiência… quem sabe você também não tenha a sua por aqui?!
      Beijos

Faça a teimosa feliz. Comente!