A energia do Hóquei no Gelo

No ano passado eu e o maridão tivemos a oportunidade de assistir, pela primeira vez, a uma partida de hóquei no gelo aqui em Gotis City. O jogo foi realizado em 20 de novembro no Scandinavium e a disputa aconteceu entre os times Frölunda Indians de Gotis City e Modo de Örnsköldsvik.

       

Nós já havíamos assistido a algumas partidas pela televisão, mas a oportunidade de presenciar um jogo profissional, com certeza teve “um que” a mais. A gente pode sentir a energia, a vibração e todo aquele suador do povo nas arquibancadas. Ok, não foi tanto suador assim, porque estava frio, mas de vez em quando a gente sentia uma brisa vencida pelo ar.

Detalhes à parte, antes mesmo de entramos na arena de esportes, já rolava o maior clima do lado de fora. O Scandinavium estava todo trajado no efeito de luzes e no maior clima de festa. Os policiais também estavam por ali, apesar das poucas viaturas no local.

Nos dias das grandes partidas futebolísticas em São Paulo, por exemplo, há sempre uma fila imensa de camelôs tentando te empurrar toda aquela tralha do time do coração ou tentando te convencer a comprar algo que você não precisa. Porém, aqui em Gotis City eu achei a galera “bem de boa”. Foi colocada apenas uma tenda do lado de fora (e uma na parte interna também), disponibilizando apenas camisetas e cachecóis.

 

Já na parte interna os torcedores foram chegando aos poucos, parando vez ou outra para fazer um lanchinho rápido antes da partida ou se abastecendo de refri e batatinhas para acompanhar melhor o jogo.

Aí quando definitivamente entramos na arena, meio que bateu um desespero, porque o estádio estava bem vazio. De cara pensamos que a partida seria um fiasco, já que era início de campeonato e os ânimos ainda estavam bem controlados.

Porém, sueco que é sueco só chega minutos antes da partida, já que todos os lugares estão marcados e a chance de existir um “vuco vuco” está totalmente fora de cogitação. Mas mesmo assim, nem todos os ingressos foram vendidos e algumas partes do estádio ficaram totalmente vazias.

Em todas as cadeiras havia um tipo de papelão, que a princípio eu julguei ser apenas propaganda e por pouco não joguei fora. E aí que observando a galera ao redor, percebi que era um tipo de “acessório” que a galera usa para ficar batendo na mão ou na perna, com um único objetivo: simplesmente agitar o jogo.

 

Quando finalmente as luzes se apagaram para dar início à abertura, deu pra sentir como a vibração e a energia eram muito boas naquele momento. Muito rock‘n’roll e ao mesmo tempo muito barulho do papelão batendo nas mãos. Era proibido fotografar e filmar a partida, mas a gente deu um jeitinho de registrar esse momento, apesar da qualidade não estar muito boa.

Abertura fantástica e de pura energia!

E para variar todo mundo acompanhando direitinho o protocolo de abertura.

A torcida organizada e super comportada também estava lá. Senti falta um pouco dos vários gritos de guerra que tanto temos em terras brasileiras, pois aqui os torcedores cantaram a mesma música durante toda a partida.

DSC06200

E mesmo sentando num lugar privilegiado, foi difícil acompanhar os movimentos rápidos dos jogadores e fixar os olhos no puck, aquele disco preto de borracha, pois o jogo é mega dinâmico. Houve muita trombada, gritos de euforia, vaias dos torcedores para os juízes, algumas faltas, mas nenhuma porrada entre os jogadores.

   

Mas uma coisa me chamou a atenção durante toda a partida. Fiquei impressionada ao ver a reação dos torcedores do Frölunda Indians quando o time Modo marcava pontos em cima deles… um completo silêncio se fazia por toda a arena. Não houve sequer um xingamento, uma vaia ou um coro de vozes da torcida organizada. Ouvia-se apenas os gritos de felicidade dos torcedores do Modo, que por sinal estavam em minoria. Nunca vi um jogo tão civilizado na minha vida e olha que o time da casa perdeu feio, hein!

Acho que em campeonatos nacionais como o canadense, por exemplo, com certeza os ânimos devem aflorar e a partida deve ser um fervor só, já que o Canadá é o berço do Hockey Ice. Mas aqui na Suécia achei a galera bem ponderada e light em todos os aspectos.

Valeu muito a experiência de ver um jogo ao vivo de hóquei e presenciar mais uma vez a civilidade sueca.

Vi ses… hej då! ;-)

4 thoughts

  1. Hahahaha!
    Eu tive mais sorte que vocês, quando eu fui assistir o Frolunda Indians eles ganharam!! O jogo é mesmo emocionante… curti muito! Pena que as entradas são meio salgadas…
    Beijos

    1. Eita mulher sortuda que só! Mesmo a equipe perdendo, a gente achou tri legal o jogo.
      Agora, concordo com você que para manter a paixão pelo hóquei requer uma bela economia na poupança, porque realmente os ingressos são caros. Acho que ir só de vez em quando já é o suficiente!
      Beijos

  2. Vania vc acredita que eu nunca assisti uma partida de Hoquei !!Que vergonha ne?
    sobre tudo o que vc escreveu o que eu achei mais interessante foi o respeito entre as torcidas, pra mim isso se chama civilizacåo 🙂
    Lindo o estadio e o passeio parece ter sido super legal quem sabe eu me animo e tbm vou rsr
    Bjoss e fica com Deus

    1. Oi Renata!
      O respeito que presenciei na arena foi extraordinário, pois nunca havia visto um comportamento tão “polite” assim como esse. Pra mim valeu muito à pena ter tido essa experiência e por ter me divertido também.
      Civilidade é tudo!!!
      Beijos e fique com Deus também 😉

Dê vida a esse blog. Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s