Masthuggskyrkan: o ponto turístico obrigatório para quem visita Gotemburgo

Nem estou acreditando, mas esse final de semana que passou consegui verificar e separar todas as fotos dos lugares por onde tenho andado e por causa disso estou retomando a tag das caminhadas por Gotis City. Em março desse ano eu dei início a essa jornada de andanças pela cidade e desde então tenho tentado me guiar por aquele livrinho que comprei durante o inverno chamado Göteborgarnas Lilla Promenadguide (Guia de Pequeninas Caminhadas dos “Gotemburguenses”). O primeiro lugar que visitei foi uma reserva natural e contei um pouco da minha aventura no post Caminhada por Änggårdsbergen.

A próxima parada escolhida por mim foi uma igreja sueca. Será que eu escrevi certo? Igreja para caminhar? Isso mesmo! Pode parecer meio estranho, mas nesse guia de caminhadas há muito mais do que parques e reservas naturais. Se eu contar o que está por vir nos posts da próxima semana irá perder a graça, então irei guardar segredo até lá e me programar para postar alguns desses lugares diferentes.

Mas vamos voltar ao passeio pela igreja. Para não fugir à regra, que tal alguns detalhes gerais sobre o local?

Masthuggskyrkan teve sua construção iniciada em 1908 e finalizada após seis anos do seu início. A torre da igreja tem cerca de 60 metros de altura e está a 127 metros acima do nível do mar. Só para se ter uma ideia, o maior sino da igreja chega a pesar mais de três toneladas e a primeira vez em que ele foi utilizado data de 1914 (ano em que a construção foi finalizada) para anunciar a triste notícia de que a Primeira Guerra mundial havia se iniciado.

Pelo que andei lendo a igreja possui um interior simples e uma variedade de enfeites artísticos, além de abrigar o maior órgão de todas as igrejas de Gotemburgo. A igreja é considerada jovem, não apenas pelos poucos anos de sua existência, como também pelo público alvo, que compreende pessoas entre 15 a 45 anos. E não para por aí, pois a Masthuggskyrkan também é ponto turístico obrigatório para quem vem à cidade. Dá para acreditar que a igreja recebe cerca de 90 mil turistas ao ano?!

É possível visitar o interior da igreja e não há custo algum, mas o dia em que visitei ela estava fechada, então tive de me contentar apenas com a área externa. Fui num sábado à tarde no final de abril, quando a temperatura estava mais amena. Apesar da paisagem ainda não estar muito bonita e de tentar fazer algum milagre com as fotografias, achei que valeu à pena dar uma olhada já que não estava chovendo. Só para quem mora aqui sabe o quanto é importante aproveitar os dias em que a chuva resolve dar uma trégua.

Há alguns caminhos para se chegar lá, mas acabei optando por caminhar entre ruas residenciais e mais escondidinhas no bairro de Majorna.

Como a igreja está localizada bem no alto, tive de subir muitas escadarias e confesso que cheguei a ficar com a língua de fora, não porque seja super cansativo, mas é porque ando, ou melhor, andava meio sedentária. E para quem está fora de forma física qualquer esforço além do normal já é um sacrifício e tanto.

 

Quando finalmente consegui chegar ao topo dei de cara com um gramado ainda muito queimado pelo gelo e sem nenhum sinal de que o país estava na Primavera. Nem sequer uma única folhinha verde estava ali para se destacar na paisagem.

Notei também que nem tudo é perfeito e que vândalos estão presentes em qualquer lugar. Latas de lixo e parte das rochas estavam pichadas… infelizmente.

É possível caminhar ao redor da igreja, sentar nos bancos que ali existem e aproveitar os raios solares que há muito tempo não se via por aqui. Como o meu objetivo era apenas caminhar, acabei pulando essa parte.

   

Atrás da igreja é uma área bem tranquila e eu até achei bonitinha.       

Como a igreja está basicamente sobre grandes rochas dá para andar sobre elas e olhar a vista. De cima dá para ver uma parte da cidade, como o porto, o trajeto do navio que vai até à Dinamarca, o Eriksberg, o Liseberg, algumas igrejas, o Gothia Tower e o Skansen Kronan. Pode não ser uma das mais belas vistas, mas com certeza é um lugar bem gostoso para se visitar.

Além disso, pode se ter a impressão de que as rochas são desconfortáveis, mas não foi isso que eu vi. Vi pessoas que simplesmente sentaram ali para comer algo, para tomar banho de sol e até para colocar os pensamentos em dia, porque silêncio é o que não falta.

Eu nunca fui à noite, mas já ouvi falar que é muito bom se você estiver acompanhado de amigos, um cobertor bem quentinho e uma boa taça de vinho, pois além de se divertir sem gastar praticamente nada, ainda dá para desfrutar da vista da cidade.

Mas não sei se teria coragem de fazer isso à noite, não pela questão de segurança, mas sim pelo frio!

Vi ses… hej då! ;-)

8 thoughts

  1. Muito bonito, vista da cidade, porto, bem legal. A foto da vista da cidade com a ponte atrás é a cidade de lego dos sonhos de minha filha!!!! Amei! Diversidade de conhecimento é demais!!!!! Bjks

    1. Tem gente que não curte muito essa vista, mas eu adoro, principalmente por causa dos telhados vermelhos.
      Lego? Haha… nem sabia que existia peças assim. Então, você precisa vir para cá e dar um pulinho na Dinamarca. Lá tem a cidade do Lego e até parque de diversões. Com certeza seus filhos se divertirão muito.
      Grande beijo!

    1. Em Gotemburgo tem lugares muito bonitos, principalmente para caminhar. Eu não conheço essa igreja nas outras estações do ano, mas tenho de concordar com você que realmente deve ser bonito, principalmente no verão.
      Beijos!

  2. Nossa, você tem muito talento com fotos! Lembrou os posts da Mari, do blog Mundo da Mari: além de fotos super bacanas, era tudo organizadíssimo. Parabéns! Lindo de se ver! Beijos

    1. Oi Cintia!
      Eu gosto de fotografia e só descobri isso quando mudei para a Suécia. Funciona meio como uma terapia pra mim e confesso que tenho me divertido muito passeando pela cidade e fotografando tudo o que vejo. Espero que em alguns meses eu consiga fazer um curso de fotografia, mas para isso preciso guardar um dinheirinho. Eu não conheço o blog da Mari, mas a Maria Caipira já havia comentado isso comigo também. Obrigada pelo carinho. Beijos!

  3. Oie,
    Olha eu *again rsrs, caramba!Lembre-se agora é Julho e eu estou mais livre/folgada irei comentar sempre que puder rsrs. A vista da cidade olhando de cima ainda é mais bonita do que eu pensava, a igreja é uma gracinha e você “Vanoca” cada vez se superando mais com suas fotos A-D-O-R-E-I. E quanto a ideia de curtir a noite observando a vista de Gotis City deve ser ótima, tirando o frio é claro hehe… e quanto ao vinho deve ser melhor ainda…
    Puss och kram! 🙂

    1. Oi bonitinha!
      Uhullll… posso comemorar então que receberei regularmente sua visitinha? Eeeeeeeeeee! Vou ver se consigo postar mais vezes, mas se eu sumir de repente é porque ando super enrolada.
      Eu gosto bastante de caminhar e qualquer lugar diferente que eu vejo já vou me enfiando para saber o que tem por ali. Agora, conhecer essa igreja foi uma boa experiência para mim, tanto pela vista quanto pelo passeio.
      Beijos!

Faça a teimosa feliz. Comente!