Brazilian Day em Estocolmo

Esse ano foi a minha primeira edição no Brazilian Day em Estocolmo, um dos eventos mais importantes da comunidade brasileira nas bandas de cá. Confesso que eu nem desconfiava que a “brasileirada” se organizava para festejar tal data e cheguei a pensar que isso era exclusivo da cidade de Nova Iorque. Engano meu!

O evento aconteceu no sábado, 10 de agosto, no parque central de Estocolmo, o Kungsträdgården. E eu curiosa que só, tive de dar um pulinho até lá e conferir com meus próprios olhos a animação da festa.

Cheguei à região por volta das 14 horas e me deparei com um parque lotado. E foi aí que eu descobri que muitos brasileiros vêm de outras cidades para aproveitar o evento. Não esperava por isso, mas cheguei até a encontrar gente de Gotemburgo nessa multidão.

As barraquinhas com comidas típicas fizeram a alegria de suecos e brasileiros. Tinha feijoada, salgadinhos como coxinha, kibe e risoles, maçã do amor, beijinho e brigadeiro diretamente do Café Marco Zero de Gotemurgo, churrasquinho no espeto, guaraná Antarctica e até bombom Sonho de Valsa apareceu por lá. Dá para acreditar que eu consegui resistir a tudo isso? Afinal, meu objetivo não era o de comer, mas sim de conhecer outras pessoas.

Havia também essas barraquinhas vendendo cangas, pulseiras e penduricalhos. Me senti como se estivesse no Brasil!

E como o dia estava ensolarado, cada um se divertiu como quis, fosse passeando, comendo, dançando, brincando ou jogando bola.

IMG_5038

Mas quem não quis se divertir, com certeza conseguiu divertir alguém. E haja habilidade para enrolar essas bexigas, hein?

E teve gente bem espertinha que aproveitou a onda cultural para convidar a galera a participar do Carnival Cruise com direito até show do Jair Rodrigues. Juro que eu pensei que ele já tivesse partido dessa pra melhor. Sou meio sem noção, não?

Tudo isso ainda acompanhado de música ao vivo. De todas as bandas que tocaram, na minha opinião essa aqui foi a melhor. Não consigo me recordar o nome da banda, mas posso afirmar que era música brasileira de boa qualidade. A banda simplesmente arrasou!

Foi um sábado bastante divertido, porque além de conhecer pessoas da comunidade brasileira que vive aqui em Estocolmo, ainda foi possível matar um pouco a saudade da alegria, do gingado e da energia positiva do meu Brasil brasileiro.

Vi ses… hej då! 😉

25 thoughts

    1. Oi Almir!

      Legal saber que você tem interesse em vir para as bandas de cá.

      É super importante a gente filtrar o que se ouve ou o que lê na internet. O racismo existe em qualquer parte do mundo, incluindo o Brasil. Acho injusto a gente falar que uma nação inteira é racista. Qualquer país que se resolva visitar ou mudar de mala e cuia é possível encontrar pessoas que defendem a raça pura, mas culpar um país inteiro eu acho um pouco demais.

      Outro dia li o relato de uma brasileira que sofreu discriminação na Alemanha, só porque a pele dela era mais bronzeada e tinha os cabelos encaracolados. A brasileira foi chamada de p* para baixo. E detalhe, ela estava com o marido gringo do lado. Como se não bastasse a senhora malcriada ainda teve coragem de falar que a Alemanha era melhor na época do Hitler. Vê se pode uma coisa dessas… em pleno ano 2013 acontecer isso.

      E é a mesma coisa no Brasil. Muita gente acha que os negros não têm direito a nada e até diferenças salarias ocorrem. É certo isso? Claro que não! Mas é uma injustiça tremenda discriminar alguém por causa da sua classe, religião ou cor.

      Se você tem interesse em visitar esses países, corra atrás e faça a sua parte e não se deixe envolver por comentários maldosos. Coisas desagradáveis podem acontecer, mas cabe a você não abaixar a cabeça e seguir em frente. Sempre! Bom, essa é apenas a minha opinião, ok! 😉

    1. Olá Luis!
      Eu gostaria muito de atualizar o blog diariamente como eu fazia há um tempo, mas com a correria do dia a dia não estou conseguindo. Espero que em breve eu consiga me organizar melhor e voltar às postagens com mais frequência. Poxa, muito obrigada pelo carinho e pelo incentivo. Realmente, vocês leitores fazem o meu dia! Sempre!
      Puss!

    1. Ops, deixei passar batido seu comentário!
      Realmente o evento foi bem divertido, tanto pelo entretenimento quanta pela comida… e é claro que eu pude conhecer muita gente interessante também.
      Puss!

  1. Aqui não tem o Brazilian Day :-(, mas tem uma tal de “Fiesta Caliente”, (festa dos países latinos)que eu fujo dela como o diabo da cruz, rs…. acho que tem muita baixaria, rs… Bjs

    1. Haha, sério que o negócio é assim?
      Olha, até o horário que fiquei tudo estava sob o mais perfeito controle. Havia bastante gente, brasileiros, suecos, crianças e idosos e todos estavam na mais perfeita harmonia. Eu achei a festa bem organizada e a galera fez bonito por lá. Gosto de eventos assim! Agora, se acontecesse algo parecido como essa “Fiesta Caliente” com certeza eu fugiria dela também. 😀
      Puss!

  2. Que delícia! Aproveitou bem, então? Mas afinal, conheceu gente ou não? Esse wok de feijoada me deixou aguada auhuahuaha… estar longe do Brasil me faz falta a comida, principalmente. Já estive num Brazilian Day em Nagoya e em Tokyo, no Japão e eles sempre levam bandas de sucesso do momento. Eu sei que este ano tá o Michel Teló. Europeus gostam de Michel Teló rs

    Kisu!

    1. Aproveitei mesmo! Sim, eu conheci bastante gente, só não entrei em detalhes no post. Conheci uma galera muito gente boa e desde que cheguei na Suécia essa foi a primeira vez que me senti como se tivesse “achado a minha turma”. O sentimento foi ótimo! 😉

      No começo eu sentia muita falta da nossa comidinha brasileira, mas que agora aos poucos está diminuindo. Agora, o que eu sinto falta mesmo é da feijuca da minha mãe… simplesmente porque é a melhor do universo. 😀

      E olha o Japão aí gente arrasando no Brazilian Day! Com gente famosa e tudo. Acho que aqui na Suécia isso ainda vai demorar um tiquinho para acontecer com a participação das celebrities e sem ter de pagar nada por isso.

      Puss!

    1. A festa do Brazilian Day acontece em Estocolmo na primeira quinzena do mês de agosto. Se você se animar é só vir para cá no ano que vem e matar a vontade. 😉
      Obrigada pelo carinho.
      Puss!

  3. Nossa, eu só não teria dispensado a coxinha! Fiquei curiosa pra saber dos preços, porque normalmente quando tem brasileiro vendendo produtos da gente aqui na Alemanha, sempre custa uma fortuna. Um dia fui no show da Marisa Monte e no final teve um coquetel com muitas comidinhas. Sabe quanto custava um prato com 3 coxinhas pequenas, beeem pequenas mesmo? 10 euros! Eu levantei os braços e me rendi, porque aquilo foi um assalto!
    Bom, mas o dia tava bonito por aí, hein? Nunca vi desses festivais por aqui, seria bom pra sentir nossa atmosfera tão gostosa!
    beijos
    Ana

    1. Ana coloca assalto nisto né, pras banda de cá qdo vamos a uma “festenhha” uma caipirinha muito da “paraguaya” (ai meu Senhor, minha amiga escuta isto me da umas chibatadas ela é do Paraguay Lourdes Desculpinha nada contra) – mais gelo que limao, água, limada sprüdel e aí sim uma colher de sopa (fui generosa) de cahacaca por €9,50 um crime né….

      1. Haha… Lola tenho de concordar com você, além do preço ser um absurdo, a qualidade não é lá essas coisas. Além de ser praticamente uma limonada, o preço é de matar. O melhor mesmo é trazer uma garrafa de cachaça na mala quando voltar do Brasil 😉

    2. Pois é, sabia que depois me arrependi de não ter comido? Fiquei com a maior vontade! Eu não cheguei a ver os preços, mas para se ter uma ideia, em Gotemburgo 5 mini coxinhas (daquelas de aniversário de criança) eram vendidas a 70 coroas suecas (mais ou menos 8 euros). Um absurdo! Como eu sei que coxinha dá um trabalhão para fazer, de vez em quando eu agia como você “levantava os braços e me rendia” rs.
      Acho que são pouquíssimos os países aqui na Europa que tem esse tipo de comemoração, mas posso te falar que foi bem legal, principalmente para matar um pouco da saudade da nossa cultura.
      Puss!

  4. Tanto brasileiro!! 😀 E tanto brigadeiro!! Ah, se eu soubesse tinha me infiltrado e iria aproveitar a festa haha, afinal também falo português 😉 Beijos

    1. Foi bem legal o evento e eu adorei. Em Gotis City não tinha nada disso e para mim foi uma super novidade :D. Ah, você deveria ter vindo e aproveitado a festa!
      Puss!

Faça a teimosa feliz. Comente!