Permissão para trabalhar na Suécia

Ultimamente tenho notado que boa parte dos brasileiros não quer mais morar no Brasil. Acompanho blogs, fóruns, grupos no Facebook e também recebo mensagens de pessoas que estão interessadas em saber como faz para tirar o visto, qual é o custo de vida, como conseguir um trabalho e etc.. Algumas perguntas chegam a ser mais ousadas como, por exemplo, qual é o “jeitinho brasileiro” de entrar no país e ficar ilegalmente.

Apesar de países como Estados Unidos e Inglaterra ainda serem os destinos preferidos, a Suécia também está na mira de algumas dessas pessoas. Porém, é necessário ter em mente que colocar a mochila nas costas, atravessar o oceano e tentar a sorte grande entre os vikings não é uma tarefa fácil. Aliás, eu desaconselho isso, pois você pode quebrar a cara e feio ainda por cima.

Porém, se você é uma pessoa certinha e pretende vir dentro “dos conformes” saiba que a questão do visto é bastante importante, principalmente para quem pretende trabalhar. E esse é o assunto que irei abordar hoje.

A permissão de trabalho pode ser requerida através do aplicativo online no Departamento de Migração (Migrationsverket) ou indo pessoalmente na Embaixada ou Consulado da Suécia, munido de todos os documentos e formulários necessários. Dependendo do perfil do requerente, a entrega da documentação deverá ser realizada pessoalmente. Nesse caso os órgãos competentes darão as devidas orientações.

Então Vânia, você está dizendo que é só enviar a solicitação e aguardar o tão sonhado visto de trabalho? A resposta é não! Essa permissão para trabalhar na Suécia só pode ser feita após o recebimento de uma oferta oficial de emprego. O que significa dizer que o contrato de trabalho deverá estar assinado pelo futuro empregador e pelo sindicato. Sim, também o sindicato. Diferentemente do Brasil, sindicato por aqui é coisa séria. A empresa contratante precisará provar para o sindicato, através de documentos, o motivo pelo qual está contratando alguém de outro país e não um sueco para a vaga. Além disso, a empresa irá preencher um formulário contendo informações sobre a vaga oferecida e o período de trabalho que você irá cumprir.

IMG_2244

Caso essa oferta de trabalho seja por um período superior a seis meses, você tem direito a solicitar o visto de residência para sua família. Opa! Quer dizer que dá para levar a “parentada” toda? Claro que não! Isso se aplica somente ao cônjuge e filhos menores de 21 anos. O jeito mais fácil e descomplicado é providenciar a documentação da família e incluir no mesmo pedido da sua solicitação, pois caso contrário, o prazo para retorno poderá ser maior do que o esperado.

Além dos formulários preenchidos e da documentação anexada, é preciso preparar o bolso para o pagamento da taxa, pois nada nessa vida é de graça. A taxa cobrada por pessoa para requerer o visto é de 1.000 coroas suecas (mais de R$ 300,00), mas que poderão ser reembolsados pela empresa, dependendo da negociação entre as partes.

É importante salientar que a permissão de trabalho é concedida por um prazo máximo de dois anos. Se por acaso, o contrato de trabalho for por um período maior que esses dois anos, tenha em mente que o visto precisará ser renovado com antecedência ao seu vencimento.

Todos esses processos que citei são válidos para quem tem cidadania brasileira. Agora, para quem é cidadão europeu, cidadão de países Nórdicos ou cidadão da Suíça é possível vir para a Suécia sem a prévia aplicação do visto de trabalho. Dependendo do seu país de cidadania, você poderá fazer todo esse processo após a sua chegada ao país. Mas, por favor, verifique direitinho quais regras se aplicam ao seu caso. Não vá me matar depois de vergonha dizendo que não avisei, tá?

Ainda interessado em trabalhar na terra da Rainha Silvia? Então se jogue no site Work in Sweden e tenha mais informações sobre como encontrar um emprego, permissão de trabalho, planejamento da mudança e a vida na Suécia.

Lycka till! (Boa sorte!)

———-

Esse texto foi publicado originalmente no site Brasileiras pelo Mundo.

Vi ses… hej då! 😉

38 pensamentos

  1. Olá Vânia, amei o seu blog que, diferente de outros, é muito sincero em relação a viagens tão importantes!
    Eu tô numa tremenda dúvida!!
    Tenho 19 anos e namoro com um rapaz brasileiro também. Estamos em busca de um lugar bom pra se casar e também morar, o melhor lugar que nos apareceu foi a Suécia. Eu li várias de suas postagens e entendi que o essencial para se chegar até aí é o visto seguido de muitas documentações e tal. Gostaria de saber como você solicitou o seu visto (pelo que li, sua situação era parecida com a minha), se foi por trabalho ou outros, quais fontes você buscou ajuda, quanto de dinheiro (R$) você teve de juntar pra ir, se buscou moradia antes mesmo de chegar, quanto tempo se preparou pra isso, enfim… como foi a sua experiência (se não for muito íntimo para você me contar) e acredite, você já me ajudou muito rsrs
    Aguardo com carinho sua resposta, e obrigada desde já! <3

    1. Olá Paloma, seja bem-vinda!
      Fiquei muito feliz em receber sua mensagem. Receber o feedback que o conteúdo que divulgo no blog te agradou me deixou com um sorriso de orelha a orelha. Iupi! \o/

      Me mudei para a Suécia juntamente com meu marido devido a uma oportunidade de emprego. Nossa vinda para o país foi tranquila, porque saímos do Brasil já com o contrato de trabalho assinado e o visto emitido. Quando morávamos no Brasil a gente procurou por oportunidades no exterior e como meu marido já tinha alguns contatos por aqui, isso acabou facilitando a nossa mudança. Com a gente tudo aconteceu muito rápido. Acho que levou apenas 4 meses. Procuramos casa quando chegamos, mas tivemos 3 meses de aluguel pagos pela empresa. Financeiramente falando a gente já poupava há bastante tempo, não por causa de uma possível mudança, mas por segurança mesmo. Fora isso, vendemos nossos carros, o que ajudou bastante. Agora, se o seu foco é a mudança comece a poupar desde já. Outra dica que dou antes de qualquer mudança é: faça uma faculdade porreta e domine o inglês. Vir para a Suécia para ser apenas mais um não é fácil. Estrangeiros aqui têm muita dificuldade para entrar no mercado de trabalho.

      Se quiser conversar comigo por e-mail estou à disposição tá?

      Muáh! 😉

  2. Boa tarde aqui no Basil ou boa noite ai na Suécia, tudo em paz Vânia, gostaria de saber se consigo emprego de pintor, gesseiro encanador, se posso trabalhar por conta como fazemos aqui no Brasil, e, se essas vagas são frequentes ai na Suíça, muito obrigado pela atenção e aguardo o seu retorno, fica com Deus

    1. Olá Carlito!
      Mesmo para as profissões mais simples, como as que você citou, é necessário que você tenha um curso de especialização e autorização das entidades responsáveis para trabalhar com isso na Suécia. Isso sem dizer que você precisa dominar o idioma local que é o sueco. Mas antes de se aventurar numa possível mudança, o mais importante é você ter o visto para trabalhar na Suécia. Sem isso, será praticamente impossível viver no país.

  3. OI Vania, boa tarde. Minha filha tem vontade de fazer intercambio ou morar fora do país, mas hoje não tenho condições financeiras para isso. Então pensei em arrumar um emprego aí pra poder estudar minha filha. Tu podes me ajudar em algo? trabalho do que for preciso e quantas horas precisarem. Obrigada.

    1. Olá Anita, tudo bem? Vi que você me enviou um e-mail também e irei responder hoje sem falta. Mas já te adianto uma coisa, para trabalhar, morar ou estudar vocês precisam de visto. Infelizmente, sem isso, nada feito. Ninguém te dará um emprego se você não tiver o visto, por mais simples que seja o trabalho. Apenas para você saber: a Suécia não é os Estados Unidos.
      Puss! 😉

  4. Vania obrigada por nos proporcionar essas informações. Gostaria de saber se voce tem conhecimento quanto a demanda de vagas para trabalhar como medico, enfermeiro e fonoaudiologo..grata..Parabens pela simpatia..
    Prisicilla

    1. Olá Priscilla!

      Meus conhecimentos sobre essa área são bem superficiais. Porém, existe um site aqui referente ao mercado de trabalho e que dá informações de projeções das carreiras nos próximos anos. O único detalhe é que é todo em sueco. Mas pelo que vi dá para alterar o idioma e tentar navegar um pouco. Se interessar você pode dar uma olhada nesse link http://www.arbetsformedlingen.se/For-arbetssokande.html e ver como está a área em que você atua.

      Agora, o que eu posso antecipar é que você precisará fazer a validação do diploma e aprender o sueco para trabalhar na área da saúde. Nesse caso tendo somente o inglês não ajudará muito.

      Valeu pelo carinho! Puss!

  5. Olá Vânia,
    Sou brasileiro com cidadania italiana.
    Como ourives trabalho… manipulo o ouro e prata na fabricação e conserto de joias.
    Pergunto, voce saberia me responder como esta a demanda por esta profissão?
    Grato pela atenção e suporte.
    Att.

  6. Olá Vânia . Parabéns pelo blog eu achei super claro e objetivo. Então tenho cidadania italiana e consequentemente meu filho de dois anos,mais meu marido não.É muito complicado eu pedir visto de residência para meu marido diretamente aí? ?Teria como pedir daqui do Brasil para já irmos todos legalizados? ?Você indicaria algum site ou blog de mães??Beijos e muito obrigada!

    1. Oi Heloisa!
      É complicado sim. O visto tem de ser requerido previamente no Brasil. Como não domino esse assunto, já que o meu caso foi diferente, eu recomendo que você dê uma olhada no site oficial da Migração Sueca e verifique os procedimentos a serem tomados tanto no seu de cidadania europeia como no dele. Ao chegar no país você precisará se registrar e tirar o número pessoal, pois sem registro você não consegue fazer absolutamente nada na Suécia. Porém, preciso ser sincera contigo. Ter cidadania europeia não garante um emprego. O link é esse aqui: http://www.migrationsverket.se/English/Private-individuals.html).

      Valeu pelo carinho! 😉
      Puss!

      1. Muito muito obrigada Vânia!!A empresa que está contratando meu marido já nos informou o que precisamos fazer e estão nos orientando!!Agora a preocupação é outra pois vamos com nosso filho de dois anos em pleno inverno 🙂 Estamos muito felizes pois meu marido encontrou um amigo que mora em Estocolmo que trabalhou com ele na Siemens na Dinamarca e aí trabalha tambem na Ericsson e nem sabia que o marido de uma prima é Sueco e trabalha na ABB então estamos praticamente em casa 🙂 considerando quem não conhecia uma viva alma por aí!!Um grande beijo e se vc tiver algum blog para indicar de mães na Suécia ficarei muito agradecida e vou dando notícias de como vai indo a mudança e quem sabe marcamos um café quando chegar!!!

        1. Ah, então você está bem adiantada no processo e amparada com as informações da empresa. Quando se tem uma empresa por trás o processo é bem menos complicado. O que é ótimo! 🙂 Vamos marcar alguma coisa sim. Chegando por aqui é só me avisar. 😉
          Puss!

  7. Adorei seu modo de escrever… é cativante e nos leva a refletir sobre a fantástica experiência de viver fora do país de origem. Desejos de tudo de bom. Bj hc

      1. Olá Vânia. Parabéns pelo blog e por transmitir o conhecimento. Eu trabalho em uma multinacional aqui em São Paulo e sua sede é ai na Suécia, pretendo trabalhar e posteriormente morar por aí, isso me ajuda de alguma forma? E qual a dica que vc pode me dar para dar inicio nessa jornada. Obrigado.

        1. Olá William!
          Sem dúvida que se você já está trabalhando em uma empresa cuja sede é na Suécia suas chances aumentam de conseguir um trabalho, seja uma transferência ou como um contrato local. A dica é sempre ficar de olho nas vagas que a empresa disponibiliza internamente nos escritórios ao redor mundo, aprimorar seu inglês (caso ainda não seja fluente) e investir numa boa formação acadêmica. Quanto mais diferencial você tiver, maiores serão suas chances de conseguir uma oportunidade.
          Obrigada pelo carinho! 😉

  8. Olá Vânia! Tudo bem?
    Estou começando a semana visitando os blogs que a timeline do WordPress esta me sugerindo. Gostei muito do seu blog… Parabéns! 🙂

    Adoro fazer novos contatos e lhe faço um convite para conhecer meu humilde espaço quando tiver um tempinho. Espero que goste!

    http://www.andrehotter.wordpress.com

    Já estou seguindo o seu blog.
    Ótima semana e boas energias! 🙂

    hUg!

  9. Adorei o texto Vânia, bem informativo mesmo pro pessoal que quer vir pra Europa tentar ficar ilegal!! Esses requisitos que você mencionou são praticamente os mesmos aqui para a Alemanha e outros países que já morei, como o Canadá, França e Suíça. Muito legal! Beijão pra vc 😀

    1. Pois é Allane, não sei o que o povo tem na cabeça de querer ficar ilegal. Poxa, já é difícil pra quem vem certinho, imagina para quem quer ter esse estilo de vida e sem direito a nada.

      Acho que requerer um visto não é um bicho de sete cabeças, basta apenas procurar nos lugares certos, como os sites oficiais, não é mesmo?

      Obrigada mais uma vez pelo carinho.

      Puss!

      1. Sem dúvida Vânia!!! Nunca conseguiria fazer isso, pq sou muito certinho e além do mais é tão bom se sentir parte da sociedade 100% e ter os seus direitos! Na verdade acho que no Brasil muita gente não tem informação sobre esse assunto, por isso acabam escolhendo outro caminho! Mas é isso ai, seu post é muito informativo para quem busca esse tipo de informação 😀

        E de nada… adoro ler seus posts, amo esse país onde vc more 😀 beijão!!

  10. Bom dia Vânia.
    Primeiramente quero te parabenizar pelo blog e te dizer que é um prazer sempre estar aqui pra dar uma curiadinha, não costumo dar likes nos teus posts, mas vou fazer isso com mais frequência…
    Bom, isso não vai ser um comentário, e sim uma história kkkkk espero q tu possa me ajudar. Sou o Fernando, 19, sou gay (nem sei qual tia opinião em relação a isso mas espero que seja boa) tenho um namorado sueco, nos conhecemos no dia 23 de maio desse ano aqui no Brasil, no dia 13 de junho recebi um pedido inusitado de namoro, aceitei, eu amo muito ele, passamos um mês nos conhecendo mas ele teve que voltar no primeiro sábado de julho. Ele veio para trabalhar na copa, era uma função séria, já que veio pela fifa. Continuamos conversando por esse tempo todo e ele volta na próxima segunda, 15, onde vamos comemorar 3 meses “juntos” e o aniversário dele de 46 anos no dia 16. Eu passei a amar a Suécia, ele sempre me falou bem sobre o país, mas ele gostou mais ainda do Brasil. A pergunta que tenho pra te fazer é: geralmente para conseguir um visto de residência, eu teria que casar, estudar ou trabalhar mas li outra vez que na Suécia se tu provar que namora um sueco, também te é concebido o visto… mas acontece que nos tratamos de um casal homoafetivo, nesse caso, já que a Suécia foi o primeiro país da europa a legalizar a homossexualidade, o visto pode ser autorizado?
    Aguardo esperançosamente pela tua resposta.
    Um grande beijo e um forte abraço.

    1. Olá Fernando, seja bem vindo!
      Muito obrigada pelo carinho. Saiba que tenho muitos leitores anônimos, que frequentam regularmente o diário, mas que nunca deixam um comentário. Para mim o mais importante é que o conteúdo agrade. E outra, também procuro escrever coisas que me dão prazer de compartilhar. É claro que há pessoas que não se identificam com o conteúdo (o que eu acho normal). Eu também gosto de ler blogs que me agradam e confesso que não são todos que eu me identifico.

      Quero dizer que me sinto uma pessoa querida quando os leitores compartilham suas histórias comigo, seja pelos comentários do blog ou através das mensagens via e-mail. Mais um obrigada novamente pela confiabilidade e por dividir sua história de amor. 🙂

      Mas eu quero que você saiba uma coisa. Eu jamais julgaria você ou qualquer outra pessoa pela opção sexual. Aliás, quem foi que disse que a opção sexual determina o caráter de uma pessoa, hein? Provavelmente um mané, não é mesmo?

      Vamos lá. Conheço pouco sobre os processos de visto, já que cada caso é um caso. Mas existe sim o “visto por vínculo familiar” e nesse caso você não precisa se casar com ele para consegui-lo. Você precisará providenciar os documentos para requerê-lo e até onde sei, entrevistas com vocês dois serão feitas durante o processo para averiguação de informações (isso é válido para um casal gay também). Uma dica é você entrar no site do Departamento de Migração (Migrationsverket) para se informar direitinho de como se dá todo o processo, pois como mencionei conheço pouco sobre essa categoria de visto. Nesse caso até o seu namorado sueco poderá ajudá-lo. O link é esse aqui: http://www.migrationsverket.se/English/Private-individuals.html

      Bom, espero que tenha conseguido te ajudar um pouquinho e boa sorte!

      Puss!

  11. Sem críticas, de verdade. Eu sonho e trabalho por uma vida melhor no Brasil. Acho a experiência internacional algo valioso, conhecer outras culturas e ter a oportunidade de contribuir com elas é ótimo. Mas o Brasil, pra mim, é ótimo. E é demais andar no resto do mundo como turista.

    1. Imagina Mariel! Seus comentários são mais do que construtivos :). O duro é quando a crítica passa a ser ofensiva e esse definitivamente não é o seu caso.
      Acredito que cada um tenha seus motivos pessoais para sair do Brasil, que foi o meu caso, por exemplo. Mas isso não significa que não goste do meu país. Pelo contrário. Tenho saudades . Mas confesso que tenho saudades só das coisas boas.
      E você com certeza tem suas razões para não deixá-lo. O importante é a gente ser feliz, independente de onde a gente esteja, não é mesmo?
      Puss!

  12. Essa foi ótima “qual é o “jeitinho brasileiro” de entrar no país e ficar ilegalmente.” Não sei como alguém tem coragem de querer ficar ilegal em um país, pra mim a palavra ilegal está associada a falta de direitos… é assim que ela aparece no meu cérebro e eu não ia querer isso pra mim. Acho se as pessoas pesquisassem direitinho e se preparassem daria para morar em outro país sem se submeter a ilegalidade.

    P.S. você liberou os comentários pro outro post? Porque não consigo comentar nem a pau ainda :/

    1. Vanessa, você não imagina como algumas mensagens são encaminhadas a mim. Não sei se choro ou se dou risada! Infelizmente, há pessoas com essa mentalidade de querer viver na ilegalidade, seja na Suécia ou em qualquer outro país que não seja o Brasil. E como você comentou, viver na ilegalidade é sinônimo de não ter direito a nada. Por isso, eu acho bastante importante pesquisar bastante nos sites oficiais de como é o processo para tirar visto antes de mudarem de país. Para isso é bom deixar a preguiça de lado, pesquisar, ler e entender. Só que vamos combinar que isso dá trabalho, né? E o que eu percebo é que muita gente quer as coisas de mão beijada e tempo para isso eu já não tenho mais.

      Eu tinha liberado os comentários e acho que deu algum problema de novo. Ontem liberei novamente e agora está funcionando. 😉

      Puss!

  13. Oi Vânia!
    Por vezes somos mal interpretados qdo alertamos q não é fácil. Não é mesmo fácil, no entanto não é uma meta impossível.
    Aos meus conhecidos no Brasil q sonham por uma vida melhor, uma melhor qualidade de vida para os seus filhos costumo dizer q então faça um bom investimento em educação para os filhos e façam estes reconhecer e acreditar q é o caminho.
    A pessoa com inglês e capacidade profissional conseguirá este sonho, diria até q sem sofrimento.
    Restará a burocracia entre Continentes.
    Bjs

    1. Pois é Sil, eu tenho de concordar contigo. Algumas pessoas, infelizmente, acham que não queremos ajudar, mas a gente sabe muito bem que as coisas não são assim. Se existisse uma “receita de bolo” eu já teria colocado no blog há muito tempo. Mas ela não existe!

      Você disse tudo! Estudar e aprender línguas abrem muitas portas. Não somente para os filhos como para os próprios pais. As pessoas precisam ter em mente que ao se prepararem estarão sujeitas as oportunidades que surgirem, seja na Suécia, em outro país ou até mesmo no Brasil.
      Puss!

Faça a teimosa feliz. Comente!