As bruxinhas de Páscoa na Suécia

Pelo menos nos países protestantes, o dia antes da Páscoa se tornou exatamente o oposto da Sexta-feira Santa. Sabadão é o dia em que a maioria das famílias enche o pandulho de ovos. Sim, muitos ovos. E isso acontece independente da ajuda do coelhinho fofinho da Páscoa. Tá certo que o povo por aqui deveria aguardar até o domingo para se fartar de comer, mas pra que esperar se isso pode ser feito antes, né?

Deixando os ovos de lado, há também uma antiga celebração por essas bandas, que é pura diversão da garotada na Quinta-feira Santa.

E que tipo de entretenimento é esse? As meninas usam lenços na cabeça, vestem saias longas ou vestidos, pintam a bochecha de vermelho com pintinhas pretas e, às vezes, até ostentam um avental bem a moda antiga, sabe. Enquanto, que os meninos usam roupas contemporâneas, chapéu e bigode. Algumas crianças gostam de explorar a criatividade e preferem fazer algo diferente, usando acessórios e pinturas que lembram um cão ou gato.

Mas a diversão não está apenas em se vestir, mas sim em andar pelas ruas da vizinhança carregando chaleiras velhas de café, onde esperam ganhar alguns trocadinhos ou guloseimas. Elas são chamadas de megeras de Páscoa (påskkärringar) ou bruxas de Páscoa (paskhäxor).

As bruxinhas de Páscoa na Suécia

De qualquer forma é incerto dizer quando essa tradição das crianças se vestirem de bruxa começou na Suécia, mas na prática ela se espalhou nas cidadezinhas do país em meados de 1800.

Os suecos mantêm, mesmo que inconscientemente, crenças em bruxas de outros tempos, particularmente no oeste da Suécia, onde tiros e fogos de artifício são ouvidos na noite escura da Páscoa e grandes fogueiras são feitas ao ar livre para manter as bruxas bem longe da baía.

Como é na prática?

Em todos esses anos de Suécia foi somente esse ano é que eu vi como é na prática. Aquela coisa que só crianças suecas, loirinhas e de olhos azuis participam é totalmente furada.

Muitas crianças vindas de outros países, com costumes e religiões distintas, também participam – desde que os pais tenham dado a devida permissão.

E na Quinta-feira Santa elas apareceram aqui em casa. Em duas turmas!

Assim que a campainha tocou eu já imaginava o que estava do outro lado da porta. Conferi pelo olho mágico e não deu outra. Eram as bruxinhas megeras de Páscoa. Abri a porta e ouvi um tímido Glad Påsk.

A primeira turma não veio vestida como manda o figurino, mas improvisou no que podia. Com lenços, tiara de gatinho e roupas comuns do dia a dia. As chaleiras haviam sido substituídas por uma bolsa rosa da Disney, com o rosto de uma guria que não tenho ideia de quem era.

Pra mim que estava vendo ao vivo e a cores pela primeira vez, perguntei se podia tirar uma foto. E não deu outra!

As bruxinhas de Páscoa na Suécia

Eu não tinha muitos doces em casa, mas percebi que cada um coopera com as crianças como pode, pois até saquinho de chips eu vi nas mãos das meninas. Entreguei algumas barras de chocolate que havia no armário e recebi um sorriso estampado em cada rostinho, juntamente com um cartão desenhado a mão como forma de agradecimento.

IMG_3236

E com os seguintes dizeres:

IMG_3237

A Páscoa é boa, a Páscoa é adorável, a Páscoa é bela, a Páscoa é divertida, a Páscoa é o meu melhor dia

Bom, elas se despediram de mim e seguiram rumo às escadas de incêndio do prédio para continuar pela busca por mais prendas “gulosísticas” ou “moedísticas”.

Após meia hora, mais ou menos, ouço um estardalhaço no corredor. Curiosa que sou, fui verificar o que estava acontecendo. Era a segunda turma chegando! Pelo que pude perceber a euforia estava na disputa dos doces, afinal como seria a divisão entre eles. Eu, do outro lado da porta, espiando pelo olho mágico, aguardava ansiosamente pelo toque da campainha. Até que finalmente ela toca e eu abro a porta novamente. Dessa vez um menino pula na minha frente, estica o braço e já me entrega o cartão de Páscoa. Ele fazendo a graça e as meninas me desejando Glad Påsk.

IMG_3243

Essa turminha veio mais caracterizada. Com lenços ao estilo antigo, saia longa, avental, chapéu e bigode. Também não havia chaleiras, mas sim cada um portando o seu aparato: cestinha, caixa de presentes e sacola simples de papel. Tudo isso com um toque de modernidade nos pés. Tênis verde engraçadinho e botas de chuva.

As bruxinhas de Páscoa na Suécia

Nesse momento, olhando para aquelas carinhas pidonas, me dei conta de que não tinha mais doces. E nem tampouco moedas! Mesmo assim corri para o armário, na busca por algo que pudesse me salvar. Não havia nada de interessante, gostoso e açucarado para entregar a elas. Apenas biscoitinhos, bem sem graça, de maisena. E foi aí que me desesperei por completo: O que eu faço agora? Socooooorro! Maridão ouviu ao meu chamado e surgiu para me salvar, dizendo que havia um saquinho de godis, ainda intocável, escondido atrás do pote de arroz na prateleira mais embaixo. O que esse saquinho estava fazendo ali eu não descobri até agora.

Voltei para a porta e quando surgi com as guloseimas em mãos tomei um susto. O menininho, num movimento brusco, pulou novamente na minha frente e em uma coreografia toda ensaiada, tirou o chapéu e fez uma reverência em forma de agradecimento. Entreguei os doces, me despedi com um sorriso bobo e eles seguiram viagem pela escada de incêndio para continuar a saga de arrecadação. Quando fechei a porta me senti aliviada por ter aquele saquinho escondido em casa e evitei de ter o rótulo de bruxa má do sétimo andar, que engana as pobres criancinhas do condomínio.

Só posso dizer que adorei a experiência e que no próximo ano estarei mais preparada com os docinhos, porque gosto de participar desse tipo de brincadeira. Isso sem dizer, que posso fazer a minha parte contribuindo para manter esse espírito pascoalino vivo nas crianças, mesmo que seja em uma cultura tão diferente como é na Suécia.

Vi ses… hej då! 😉

9 thoughts

  1. Que maximo!!! Por aqui o diferente sao as ‘palmadas’ na segunda-feira (e jah tive minha cota logo que acordei). Esse saquinho de doces escondidos…sei naum, acho que o maridao tinha outros planos para a guloseimas…rs

    1. Palmadas? Opa, isso é diferente pra mim. Fiquei curiosa para ver ao vivo e a cores como é.
      Ele me confessou esse final de semana, que realmente tinha outros planos em mente para o saquinho. Mas ficarão para uma próxima. 😀

    1. Obrigada pelo carinho Rosania. Tomara que sua Páscoa tenha sido bastante recheada, não apenas de gostosuras, mas de muito amor e carinho.
      Puss! 😉

  2. A Lela participou do primeiro Halloween dela no dia 31 de outubro e ficou tao feliz! Ganhou muitos bombons e uma satsuma (especie de laranja) que ela adorou e nao largou mais ate come-lo. Rs…

Faça a teimosa feliz. Comente!