O mês de agosto na Suécia

Finalmente começando o mês certinho e trazendo curiosidades que acontecem no mês de agosto na Suécia.

A partir de agora o anoitecer começa a acontecer um pouco mais cedo, mesmo que suavemente a gente já começa a sentir a diferença todos os dias. Teoricamente o calor ainda permanece um pouco por essas bandas. Aliás, fazendo um parêntese. O que aconteceu com o verão esse ano na Suécia, hein? Jesus amado! Em Estocolmo foi só de passagem, porque o clima tá uma nhaca só. Houve pouquíssimos dias de sol. O céu ficou nublado na maior parte do tempo, choveu e teve dia que a temperatura bateu a marca dos 11 graus. Verão? Oi? Cadê você?. Em 2015 o verão pode ter sido uma pedra no sapato de muita gente, mas esse ano, tá um calor de rachar o coco. Nem preciso dizer que tô amando, né, porque até vermelha pimentinha eu consegui ficar.

O mês de agosto na Suécia

É o mês para se comemorar a Kräfstiva, ou seja, a festa do lagostim. E se o tempo colaborar – coisa que eu duvido que irá acontecer esse ano – dá para sentar do lado de fora de casa, se fartar dos kräftor cozidos (crustáceos de água doce e lagostas), mergulhados num temperinho chamado dill (acho que em português é o mesmo nome, me corrija se eu estiver errada) e salmoura. E como é que se come essa bagaça toda? É com a mão mesmo e sem glamour. Você desmembra o coitado, tira a casca, suga o caldinho e depois devora tudo como se não houvesse amanhã. Eu tive a experiência de comê-los há uns dois anos e confesso que o sabor é bem diferente para o nosso paladar brasileiro. A festinha que eu participei era mais uma introdução ao ritual e não foi exatamente como manda o figurino, mas valeu a pena matar a curiosidade. Até porque depois disso ainda teve um jantar maravilhoso.

Kräftskiva: a festa do lagostim

E como quase toda festa na Suécia envolve bebida e cantoria, essa é mais uma delas. Claro, que nem tanto quanto a do Midsommar. Para os suecos que são tímidos, essa festa é mais um momento para testemunhar que o lado reservado é posto de lado, pois tá todo mundo rindo à toa, embriagado e cantarolando como um doido. A diferença é que agora as músicas não costumam durar mais de meio minuto, já que eles param de cantar a todo momento para mandar o álcool goela abaixo.

Mas tem mais comemoração vindo por aí, porém dessa vez, eu diria, que é meio esquisita. A terceira quinta-feira de agosto é a abertura não-oficial da temporada de arenque fermentado. Não tem ideia do que seja? Eu te explico! É a hora de comer o peixe mais fedido do mundo. Cara, no ano passado eu senti o cheiro dele de perto. Fui em uma dessas feirinhas de rua e estava decidida de que iria experimentar. Fiquei ali na fila esperando minha vez – acho que tinha umas 30 pessoas na minha frente. Enquanto jogava conversa fora com alguns amigos e aguardava a minha vez, a mocinha da barraca abriu uma das latas e sabe o que aconteceu? Corri da fila, porque eu quase vomitei na frente de todo mundo. O cheiro é realmente terrível, pois parece coisa podre de verdade. Só de lembrar esse episódio já fico com ânsia. Melhor parar por aqui.

Surströmming: o peixe mais fedido do mundo

Ah, nesse mês tem também uma celebridade turística. Quem faz aniversário é o navio de guerra Vasa, o orgulho da marinha sueca. Aquele, que bem na viagem de inauguração, em 10 de agosto de 1628, afundou no porto de Estocolmo. Tudo isso porque ele estava sobrecarregado de canhões e umas 500 esculturas, entre elas 60 de leões. Na época até fizeram uns testes e perceberam que o navio estava instável. Mas quem é que tinha o culhão para bater de frente com o rei, hein? Absolutamente ninguém! E aí deu no que deu.

Naquela época, por choque ou constrangimento, o assunto foi morto e enterrado. Até que 333 anos mais tarde um pesquisador o encontrou. O resultado? Um museu construído para o único navio “sobrevivente” do mundo do século 17. O Vasa é conhecido como o maior museu da Escandinávia e recebe anualmente mais de 800 mil visitantes. Bom, eu faço parte dessa estatística já que o visitei pelo menos umas quatro vezes. Acho que já deu, né?

Museu do Vasa

No final de agosto e início de setembro rola a medição anual da montanha mais alta da Suécia, a Kebnekaise. Essa montanha glacial tem atualmente o pico de 2.104 metros e por causa do aquecimento global a cada ano que passa ela diminui. Atualmente ela está 17 metros menor do que quando foi medida pela primeira vez. E por que toda essa preocupação? Porque a Kebnekaise é considerada como a joia das montanhas no país. Tá bom pra você?

E finalmente, na última semana desse mês, as escolas voltam às aulas, até porque um novo ano letivo está apenas começando.

O mês de agosto na Suécia

Vi ses… hej då! 😉

7 pensamentos

  1. Olá Vânia! Gostaria de fazer algumas perguntas: Por quê você escolheu a Suécia para ser sua nova casa? Para você, valeu a pena mudar de país, mesmo com um custo de vida e impostos altos? Sua vida melhorou depois que você mudou para a Suécia? Ou ficou na mesma?

    1. Olá João!
      Na verdade eu não escolhi a Suécia. Mudei para cá devido a uma oportunidade de trabalho que surgiu quando eu e meu marido ainda morávamos no Brasil.
      Sim, valeu e continua valendo a pena a mudança de país. Gostamos de ter uma vida mais simples. Agora, o que você quis dizer com a vida melhorou? Essa resposta depende muito da prioridade que cada um tem.

      1. Queria dizer se você está mais satisfeita profissionalmente na Suécia, se você tem uma qualidade de vida melhor que você teve no Brasil, se o salário rende mais e acompanha o custo de vida (se sobra mais dinheiro para comprar alguma(s) coisa(s), além das despesas essenciais). Fiz a pergunta pensando nisso, mais pelo lado financeiro.

  2. Vânia, voltei! Nossa, fazia tempo que eu não passava aqui! Andei de férias, ocupada com meus pais em casa e só agora estou voltando pros blogs e internet. 🙂 Adorei saber das coisas que acontecem em agosto aí na Suécia! Aqui também os dias estão começando a ficar mais curtos. E disseram que o verão aqui foi bem quente (eu não sei porque passei julho no Brasil). A escola aqui no Canadá volta em setembro, depois da primeira segunda-feira do mês, que é feriado do dia do trabalho. Esse ano vai ser tarde, dia 8 de setembro. Não vejo a hora! hahahahah Beijos! Adorei o visual novo do blog!

    1. Olá Ana!
      Você voltou e eu sumi rs. Agora foi a minha vez de abandonar o blog e um pouco a internet. Também estou voltando, mas ainda aos pouquinhos, tanto que hoje reservei um tempinho só para aprovar e responder aos comentários. Que delícia visitar o Brasil e ficar com as pessoas queridas. Isso é tudo de bom, né? Espero que tenha aproveitado bastante. Já é quase final de setembro e o tempo já mudou drasticamente em Estocolmo. Tem ficado bastante nublado e os dias de sol são bem raros agora. Espero que esteja tudo bem por aí. Logo mais serei eu a colocar a leitura em dia. Grande beijo! Muáh!!! 😉

Faça a teimosa feliz. Comente!