Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

No ano passado eu comemorei meu aniversário no Brasil e foi uma delícia estar rodeada pelas pessoas que me fazem bem. Infelizmente, esse ano não rolou de comemorar por lá e eu tive de me contentar em ficar, no auge do inverno, nessa terra gelada chamada Suécia.

Apesar de não curtir tanta badalação nessa data, eu queria lá fundo fazer alguma coisa. Foi então que eu resolvi aproveitar o dia fazendo um bate e volta esperto na cidade de Norrköping. Confesso que essa viagem foi meio que no supetão, já que esse não era o meu plano inicial.

Saindo de Estocolmo

Eu e maridão garantimos os bilhetes com uns dois dias de antecedência no site da SJ, que é a maior operadora de trens na Suécia. Optamos pelo valor mais em conta, já que a passagem estava sendo comprada meio que em cima da hora. Também não reservamos os assentos, pois isso implicaria em desembolsar uma grana a mais.

E no sábado, 17 de janeiro, com uma temperatura de 5 graus, pegamos o trem na estação central de Estocolmo.

Estação Central de Trem em Estocolmo

Munidos de um café bem quentinho e um sanduíche meio sem graça, comprado na Espresso House, entramos no trem e escolhemos o lugar onde queríamos sentar. Meio que aleatoriamente.

Para a nossa sorte o trem estava bem vazio e com muitos lugares a escolha. Olha, se eu tivesse pago o valor extra do assento eu não me perdoaria, pois seria como jogar dinheiro fora.

Trem na Suécia

A viagem foi bem tranquila. Deu tempo suficiente de verificar as redes sociais, olhar a paisagem coberta pela neve e ainda tirar um cochilo de leve. Apesar do trem parecer meio capenga por fora, por dentro era bem confortável.

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Chegando lá

Após uma hora e quinze de viagem chegamos ao nosso destino e desembarcamos na estação central de Norrköping.

Estação Central de Norrköping

Apesar do céu estar parcialmente limpo e com o sol tentando sair a todo custo, só para fingir que vinha para nos aquecer, a gente sentiu duramente o frio cortando nosso rosto e o vento tentando atravessar as nossas roupas mais parrudas de inverno. Isso era um sinal de que passar o dia todo na rua seria um desafio daqueles. E foi! Nesse momento a temperatura era de 1 grau, mas com sensação térmica de -2 graus.

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Saindo da estação encontramos uma cidade ainda adormecida e forrada de gelo. Com o derretimento da neve alguns lugares estavam bem complicados de caminhar.

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Porém, indo mais para o centro a tal coisa de “escorrega daqui e escorrega dali” foi sendo amenizada e aos pouquinhos a cidade começava a acordar. Pessoas saindo de casa, indo trabalhar, se exercitando e fazendo o que costumam fazer, sem nenhuma preocupação com o frio, o vento e o gelo.

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

A historinha de Norrköping

Norrköping é a décima maior cidade da Suécia e por causa da sua localização geográfica é considerada ideal para os negócios. E por quê? Porque ela tá cercada por uma super estrutura de transporte. Tem ferrovias, estradas, aeroporto e ainda conta com o segundo maior porto do país. Ou seja, é o centro perfeito para a indústria, o comércio e o transporte.

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Essa cidadezinha com cerca de 130 mil habitantes já passou por muitas coisas. Foi destruída pelos dinamarqueses (Guerra dos Sete Anos) e também pelos russos (Grande Guerra do Norte). E ainda sofreu com uma porrada de incêndios, sendo que um deles deixou a cidade reduzida a cinzas, precisando depois ser totalmente reconstruída.

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Mas calma. Nem só de desgraça se fez a história. Lá em 1800 e guaraná de rolha, Norrköping foi a responsável por 70% da fabricação de vestuário de toda a Suécia. Hoje em dia ela já não é mais a rainha da cocada preta nesse ramo, mas ainda possui as maiores indústrias da área de papel, embalagem, logística/transporte, eletrônica, TI/mídia e comércio. Tanto que grandes empresas como Whirlpool, Goodyear, Stadium e Servera têm armazéns por lá e utilizam a cidade como uma base para a distribuição das mercadorias.

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Explorando a cidade

Mesmo sendo uma viagem sem muito planejamento, um dia antes, eu dei uma sapeada na internet para ver o que a cidade tinha de interessante. Não encontrei muitos pontos turísticos os quais eu fiquei com siricutico de visitar. Na verdade, apenas um me chamou a atenção, mas como íamos passar o dia todo, resolvemos dar aquela conferida nos demais.

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

O problema de fazer turismo em pleno inverno na Suécia é que você não tem um leque de oportunidades como teria nas demais estações do ano. Muitos lugares estão fechados, é difícil permanecer na rua por longos períodos, é complicado pacas caminhar quando se tem gelo na rua e ainda por cima você parece um robô de tanta roupa que usa.

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Mas não vou mentir, porque até que deu para ver alguns lugares, mesmo que apenas do lado de fora.

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

O que vimos por lá ou que tentamos dar uma olhada:

Gubbens Trädgård

É o jardim mais antigo de Norrköping e possui uma cafeteria que só abre no verão ou quando o tempo tá bom. Não foi dessa vez que a gente conseguiu conferir de perto se o jardim era bonito ou não, já que estava fechado. Como não visitei a página oficial do local (http://gubbenstradgard.se/) para saber quais eram os dias de funcionamento, acabei dando com os burros na água.

Gubbens Trädgård

Tentei caminhar ao redor dele, mas não havia nenhuma porta escondidinha para que eu pudesse ver o que estava perdendo. E até agora continuo não sabendo se vale a pena.

E ali mesmo nas redondezas encontrei uma árvore lotada de cascas de coco que estavam cheias de coisas apetitosas para os passarinhos.

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Sankt Olai Kyrka

É uma igreja que fica bem no centro de Norrköping. Conta a história que ela é meio sofrida, pois além de um incêndio devastador ter danificado a sua estrutura há mais de 350 anos, ela ainda teve seu interior totalmente destruído pelos russos lá em 1700 e alguma coisa.

Sankt Olai Kyrka em Norrköping

De novo! Não deu para conferir o interior, porque também estava fechada. Mas mesmo a temperatura estando baixa, pude flagrar que o povo estava “todo todo” por ali fazendo exercícios ao ar livre. Haja coragem senhor!

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Arbetets museum

No passado esse prédio rodeado pela água – que nesse dia estava todo congelado – era uma fábrica têxtil bastante importante. Atualmente ele deu lugar ao Museu do Trabalho (http://www.arbetetsmuseum.se) e sem grandes firulas. O museu basicamente retrata a vida de trabalho e suas condições, por meio de exposições, seminários e atividades.

Região do Arbetets Museum - Museu do Trabalho

Mas na boa? Esse tipo de museu não me atrai. Acho chato pra raio! Então, me contive em olhar somente do lado de fora, mais por curiosidade da arquitetura do que por outra coisa.

Arbetets Museum - Museu do Trabalho

Bergsbron

É a visão que se consegue ter a partir da ponte. De um lado o Museu do Trabalho e uma chaminé antiga, do outro a cachoeira, que não dá para ver direito.

Bergsbron em Norrköping

Tuben

Nada mais que uma grande tubulação de água feita de aço de uns 3 metros mais ou menos e que pertencia a uma antiga usina de água. Para ficar combinandinho com a paisagem industrial do local, as paredes do cilindro foram cortadas e formaram um tipo de passagem bem ao lado de uma cachoeira.

Tuben em Norrköping

Pelo que entendi, essa cachoeira tem mais de 100 metros de largura e durante à noite rola uma super iluminação high tech. Dizem que é um dos pontos turísticos mais dramáticos e belos em Norrköping. Não sei se achei tudo isso. Talvez tenha sido porque passei por lá durante o dia e não vi nada demais.

Tuben em Norrköping

Petróglifos da Idade do Bronze

Esse pra mim foi o único ponto turístico que eu realmente gostei. Eu só tinha o nome em inglês do local (Rock Carving) e não conseguia achá-lo de jeito nenhum no mapa. Com muito custo, eu e maridão encontramos um centro de turismo e foi aí que descobrimos que o nome do local é Himmelstalund.

Petróglifos em Norrköping

Mas afinal de contas, o que são esses petróglifos? São imagens e representações simbólicas gravadas nas rochas de paredes internas e externas das cavernas. Geralmente registram fatos e mitos de populações que viveram naquele local há muitos e muitos anos.

Petróglifos em Norrköping

O interessante foi saber que Norrköping tem a segunda maior coleção desse tipo de gravura, que data lá da Idade do Bronze (1.800 aC a 500 aC), na Suécia. Leu direitinho? Antes de Cristo!

Apesar da cidade ter em torno de 7.000 petróglifos é nesse lugar de Himmelstalund que está a maior concentração das gravuras. Essas famosas esculturas de pedra (Hällristningarna) estão localizadas num tipo de colina bem no meio do parque.

Petróglifos em Norrköping

Nesse lugar viveu uma comunidade agrícola cujas gravuras retratam bem isso, tais como animais, pedras, pegadas, diferentes armas, navios e símbolos do sol.

Petróglifos em Norrköping

Eu achei bem bacana, porque é um tipo de passeio que eu gosto de fazer. Cheio de histórias e ao mesmo tempo tão cheio de mistérios, que mexe com a nossa imaginação e faz a gente viajar pelo tempo.

Mas fiquei meio triste também. Uma das figuras que eu gostaria de ter visto é a de um homem com rabinho no fiofó segurando uma espiral sob a cabeça. Procurei de um lado, procurei de outro, procurei mais um pouco e não achei. Por causa da garoa forte e da temperatura de 5 graus negativos desisti.

No fim, voltamos para o centro o mais rápido que podíamos, porque além de estarmos mortos de fome, os nossos dedos já estavam congelando. Mesmo usando todos os apetrechos necessários para se proteger do frio, a gente já tava chegando num ponto de virar picolé.

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

O “almojanta”

Eu queria ter ido numa lanchonete que encontrei na internet com a decoração no estilo dos anos 50. Parecia ser bem bacana e tals. Fomos no endereço indicado e tcharam… ela não existia mais.

E por causa da garoa, acabou não rolando escolher um lugar legal para comer. Foi tipo assim, o primeiro lugar que vimos, entramos.

PUB The Cromwell House em Norrköping

Era um pub, como todo pub deve ser. Escuro, decoração em madeira e uns bebuns afogando as mágoas com o barman. Ou seja, nada romântico e digno de comemorar o aniversário.

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Mas nem tudo estava perdido, porque uma das coisas que eu mais gosto nos pubs da Suécia é que a maioria deles serve um dos meus pratos favoritos: o plansteak. O prato nada mais é que uma carne servida sobre uma tábua de madeira, acompanhada de purê de batatas assado, legumes e um molho mega calórico chamado bearnaise (feito a base de ovo, manteiga, vinagre, cebola e estragão).

Plansteak no PUB The Cromwell House em Norrköping

Apesar de não ser o melhor que já comi por essas terras, ele até que deu para o gasto. Tanto que comemos tão desesperadamente que acabou não sobrando espaço para a sobremesa.

Voltando para casa

Depois de estarmos devidamente aquecidos e “comidos” era hora de zarpar. Precisamos dar uma apertada no passo para não perdermos o trem. A pontualidade por essas bandas, às vezes, é algo que me dá medo. Voltamos para a estação central numa repleta escuridão.

Estação Central de Norrköping

Dessa vez o trem saiu um pouco cheio de Norrköping, mas ainda com algumas poltronas vazias.

Chegando em casa, a primeira coisa que fiz foi tomar um banho quente para tirar um pouco da friagem. Em seguida fiz uma canecona de chá de erva cidreira, trazido diretamente do Brasil e me enfiei embaixo das cobertas. Encerrei a noite no quentinho da minha casa, assistindo a um bom filme e agarradinha com o maridão.

Valeu a experiência e a comemoração diferente desse ano.

Informações para quem é viajante

Apesar de ter encontrado muita coisa fechada na cidade, só de ver os petróglifos já valeu por todo o passeio. Se você está de passagem pela Suécia, minha opinião, aproveite o verão nessa cidade porque deve ser bem mais encantador e cheia de coisas interessantes para fazer.

Viajar no inverno é bem desafiador. A gente tinha em mente que durante a nossa caminhada daria para fazer algumas pausas nas cafeterias da cidade. O que seria ótimo para nos aquecermos e de quebra tomar um café. Mas isso não aconteceu. Pelo menos na região central o que mais se vê são salões de cabeleireiro. Aliás, nunca tinha visto uma cidade com tantos estabelecimentos assim.

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Se você notou, deu para perceber que não há grandes atrações turísticas, né? A paisagem é mais industrial mesmo e nem sempre te encherá os olhos à primeira vista. Mas para quem é fotógrafo e gosta desse estilo de paisagem, só te falo uma coisa: vai fundo!

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Passar um dia por lá é mais que suficiente. Dá para fazer todos os passeios a pé, sem a necessidade de pegar o transporte público. A maior caminhada que fizemos foi até o Himmelstadlund, aquelas gravuras da Idade do Bronze, e levou uns 20 minutos do centro.

Norrköping: a cidade de paisagem industrial da Suécia

Outra coisa. Se você tem a torneirinha aberta, meu amigo, te prepara, porque é difícil achar banheiro público. Pra falar bem a verdade, não achamos nenhum. Utilizamos o do Centro de Informações Turísticas e maridão também usou um num McDonalds da vida, só que ele precisou pagar 10 coroas.

O Centro de Informações Turísticas é meio escondido e fica na região do Arbetets Museum (Museu do Trabalho). Até encontra-lo foi uma caminhadinha, viu?

Centro de Informações Turísticas em Norrköping

E se você quiser mais informações dá uma olhada no site de turismo de Norrköping para ver todos os eventos que acontecem na cidade durante o ano: http://www.upplev.norrkoping.se/en/

Aqui está o mapa com os lugares que visitamos:

Vi ses… hej då! 😉

23 thoughts

  1. Gosto muito do seu blog por mostrar a suecia, ja vi muitos blogs de brasileiros que só abordavam coisas do brasil e não mostravam interesse de se aculturar quão a sua opinião sobre isso. Vc já foi em algum outro país.

  2. Olha, eu ainda não sou graduado e nem sei se vou terminar, pq aqui no brasil não vai ser facil trabalhar nisso, eu me interessei por isso depois de ler muita coisa sobre demografia sobretudo na europa e japão que tá em situação critica. Eu passei 2 semanas em paris e to pagando até hoje essa viagem, quando estava lá algumas pessoas me disseram para não entrar em alguns bairros nos arredores de paris que eram governados por muculmanos aplicando a (sharia leve) e isso vale para toda europa ocidental.

  3. Eu não tô criticando nem nada disso eu estudei demografia populacional e o futuro da Escandinávia não é nada bom a europa em geral, é que da um pouco de tristeza em saber que toda essa beleza cultural dessa parte do mundo esse quase paraíso pode se esvair pelos dedos.

    1. Que interessante a sua formação. Você tem algum trabalho publicado na internet? Se sim, adoraria ler a respeito, pois esse assunto muito me interessa 🙂

  4. Muito linda a Suécia, a Suécia esta numa espiral ao fundo do poço pro seu futuro não a filhos suecos nativos suficiente para manter a cara da Suécia.o sueco em umas 2 décadas vai se tornar minoria o país vai ser dos imigrantes sobretudo islâmicos nada integrados na sociedade.

    1. Oi Kadu! Entendo o seu ponto de vista e respeito a sua opinião, mas no momento esse espaço é apenas para compartilhar as curiosidades, lugares e dicas sobre a Suécia. Um dia pretendo escrever sobre isso, mas por hora ainda não quero misturar política com o conteúdo do blog. De qualquer forma agradeço imensamente a sua visita e por compartilhar a sua opinião pessoal sobre essa questão.
      Puss! 😉

  5. Oi Lindinha!! Belas fotos,texto delicioso…amo o teu jeito divertido de escrever,eu leio super interessada,as tuas aventuras são muito boas,ah feliz aniversário!! Um pouquinho atrasado rsrs se cuida bjs

  6. Oi Vânia! Adoro ouvir sobre seus passeios e agora que estou por aqui pretendo visitar alguns lugares. Moro em Uppsala que é bem charmosinha. Ainda não vasculhei em todo o seu blog, mas será que você pode me ajudar? Minha irmã vem me visitar para as festas de fim de ano e ela quer passear! Se possível, a lindinha ainda quer visitar outro país por aqui. Você pode me dar dicas de lugares para visitar durante o inverno na Suécia? Eu andei pensando em Malmö (por que dá pra atravessar para a Dinamarca) e em Gotemburgo (ouvi falar do parque Liseberg). Ainda pensei que posso ir a esses lugares de trem (minha irmã nunca andou de trem e adoraria experimentar). O que você recomenda?

    1. Oi Luísa!
      Fico tão feliz quando vocês gostam o que eu posto :). Ainda não conheço Uppsala, mas espero visitar em breve… se Deus quiser! Visitar a Suécia no auge do inverno é meio punk, mas se você quiser eu recomendo ir para Kiruna, que tem algumas atividades interessantes nessa época do ano. Entretanto, eu sugiro você conferir antes o que estará funcionando, porque nessa época de festas é tuuuuuudo fechado e não sobra muita coisa para fazer. Você mencionou o Liseberg, né? Rola uma feirinha de Natal por lá, que é bem interessante e ela pode experimentar uma bebida de Natal chamada glögg. Se vcs puderem viajar de trem acho que será ótimo, mas é preciso comprar a passagem com antecedência, pois quanto mais perto da data mais cara ela será. Em alguns casos chega a ser mais cara que a de avião. Além disso, considere que a viagem será um pouco mais longa.

  7. Sair no inverno pra turismo é mesmo complicado e tem cidades que fecham quase tudo e a programação cultural é quase que zerada…por isso que eu vou em tudo quanto é coisa no verão! rs Com o passar dos anos eu me aquietei mais, mas antes eu ficava doida procurando o que fazer e sair na rua a frustração de passar muito frio! rs Ficava irritada, viu? hahaha Coitadinho do meu marido! Mas a cidade é bem bacana e as coisas tem lá os seus encantos mesmo no inverno…dependendo do lugar, tem coisa que vale sim a pena ir conhecer! Bjs

    1. Oi Eliana! Bom, eu já sabia que é meio complicado passear no inverno, mas eu fui de teimosa mesmo rs, porque não queria ficar em casa. Mesmo em Estocolmo muitos lugares fecham nesse período, porém, a vantagem é que na capital sempre há outras atividades bacanudas para se fazer. Cidades menores isso é praticamente reduzido a zero. Mas há um lugar na cidade que tenho vontade de conhecer e que precisa ser no inverno: Kiruna. Pretendo ir um dia… acho que a experiência será bem diferente. 😀

  8. Eu gostei da cidade e gostei de suas fotos ! 🙂 Sempre vale a pena conhecer um lugar o qual nunca fomos, né? Nem que seja para saber por experiência própria que não vale a pena voltar pra turistar rsrs, mas este não é o caso de Norrkoping, gostei bastante ! Bjs !

    1. Oi Melissa!
      Ai que linda, fico felizona da vida que tenha gostado. Sabe, eu pretendo voltar no próximo verão ou pelo menos quando a temperatura já estiver mais amena. Acho que na primavera será uma boa pedida e tenho certeza de que será bem mais legal. Muito obrigada pelo carinho. Puss! 😉

  9. A próxima vez tem que ir no verão e aproveitar para ir no zoológico, vale muito a pena! No centro da cidade tem os centros comerciais ai você encontra banheiros kkkk

    1. Olá Gisele! Eu já sabia que viajar no inverno não é algo tão agradável e estava psicologicamente preparada para isso. Com certeza voltarei no verão, pois terei outra imagem da cidade.
      A gente tentou utilizar os banheiros do centro, mas como chegamos meio cedo, estava tudo fechado… mas agora já aprendemos. 😀

  10. Olá, Vânia. Seu blog é incrível. Parabéns pelo trabalho.
    Você não pensa em abrir uma conta no youtube? Seria interessantíssimo mostrar em vídeo pra gente como é a vida aí e como funciona tudo (mercado, lojas…), já que não é toda blogueira que mora ou vai visitar a Suécia.
    Beijos!!!

    1. Olá Eloisa!
      Eu já tenho uma conta no youtube, mas ela anda meio parada. Tenho muuuuuita vergonha de falar com a câmera e esse é o motivo pelo qual não dei continuidade. Mas tenho algumas ideias e espero colocá-las em prática em breve. 😀
      Muito obrigada pelo carinho! Puss! 😉

  11. Vania querida, acho que já passei por essa cidade indo para a summer house da minha cunhada…são tantas cidades com esse kopping no final que fico confusa! Mas como chegarei em dezembro de mala e cuia, acho que vou mesmo explorar Estocolmo no inverno e deixar para fazer estas aventuras no verão!!! Beijos

    1. Olá Norma!
      Morri de rir com o seu “köpping” porque você não é a única. Até hoje eu também fico meio perdida com os nomes das cidades e ainda levarei um longo tempo para decorar tudo :D. Você está certíssima em conhecer outras cidades no verão, ainda mais se elas forem pequenas, porque geralmente não há muito entretenimento – ou é nulo – no inverno. Estocolmo também diminui, mas felizmente ainda continua com muitas atividades.
      Puss! 😉

Dê vida a esse blog. Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s