Valborgsmässoafton: a celebração da chegada da primavera

Valborgsmässoafton é uma grande celebração anual da Primavera, que acontece exatamente na noite de 30 de abril em quase todos os cantinhos da Suécia. E esse nome todo estrambólico significa algo como Noite de Celebração de Valborg, em inglês Walpurgis Night ou ainda Noite das Bruxas.

O que rola pelas bandas de cá é que os suecos se reúnem publicamente, acendem fogueiras, cantam canções tradicionais e bebem altas biritas.

Imagem norrfjardenshamnforening.se

E o que mais teimosa? Conta, conta, conta!

Opa, pode deixar que vou te contar tudinho sobre essa bendita comemoração, tá? Desde a história, tradição, o que Gotemburgo tem nesse dia que Estocolmo não tem, onde ver as fogueiras em Estocolmo e finalmente qual foi a celebridade que vi bem de pertinho na noite de Valborg em 2014. Lembra do suspense que fiz lá no texto o mês de abril na Suécia? Pois agora finalmente irei revelar.

Preparado? Então senta que lá vem história!

Resumão da história de Valborg

Santa Valburga ou Saint Walpurga nasceu na Inglaterra lá pelo século 8 e depois de crescidinha se tornou uma freira toda bonitinha e foi trabalhar como missionária na Alemanha, onde veio a realizar altos milagres e até escreveu uma crônica sobre Santo Bonifácio. Pois bem! Exatamente 780 anos depois de Cristo ela veio a ser canonizada.

Lendo isso, de cara a gente já mata a charada que a Santa Valburga não tem conexão alguma com a história da Suécia e até então a data nunca tinha sido comemorada. Mas calma, que mais pra frente eu explico como os suecos incorporaram a celebração na cultura do país. Aguenta aí!

E os fogaréus nessa história? Bom, as fogueiras eram feitas na Alemanha por dois motivos. Primeiro para eliminar o paganismo. Quer um exemplo? Naquela época foi proibido comer carne de cavalo, uma vez que os coitadinhos eram muitas vezes sacrificados – e comidos – em feriados pagãos. Portanto, ao invés de matar o pobre bichinho, a fogueira vinha como um substituto para comemorar qualquer que fosse a festa pagã.

Imagem www.skd.se

O segundo motivo é que naqueles tempos, os alemães deixavam seu gado lindo, leve e solto para pastar em prados e florestas pertinho do equinócio da primavera, que no hemisfério norte acontece em março-abril. O que significava dizer que para assustar os lobos e outros animais selvagens de atacarem o seu gado, eles dançavam e cantavam ao redor das fogueiras fazendo o maior barulho. E claro, que uma cervejinha aqui e outra acolá ajudavam a manter os ânimos e a fazer mais alvoroço ainda.

Como a tradição veio parar na Suécia

Essas fogueiras da celebração de Valborgsmässoafton só começaram a aparecer na Suécia no final do século 19, ou seja, muito tempo depois. E sabe quem trouxe esse hábito? Os imigrantes alemães. Eles mesmos! Que foram entrando de mansinho no país e se instalando na comuna de Uppland em Estocolmo.

Tudo bem que as fogueiras já eram comuns na Páscoa na Suécia, especialmente para assustar as bruxas antes da Sexta-Feira Santa e os espíritos malignos. Agora, fogueiras para se despedir do inverno, celebrar a Primavera e ainda por cima desejar um bom ano de colheita, ah isso não tinha.

E foi aí que o ritual pagão dos alemães foi incorporado ao calendário sueco. Simples assim!

Imagem riksgransen.se

Apesar das pessoas na maior parte do país se referirem a esse dia como Valborgsmässoafton, nas cidades universitárias de Lund e Uppsala o dia 30 de abril é chamado de Sista April, em português final de abril.

A razão para ser diferente é que existe uma velha tradição, de mais ou menos 200 anos, em que os estudantes tiram aquele gorrinho preto de inverno e colocam o chapeuzinho branco de verão.

Chalmerscortegen-1

Só por causa disso, já é motivo suficiente para se comemorar durante dois dias inteirinhos e regado a um consumo excessivo de álcool. Tanto que a festança começa no 30 de abril e só acaba à noitinha de 1de maio. Pelo jeito a coisa é agitada mesmo, hein?

Outra curiosidade é que em Lund, além de ter a tradicional fogueira, ainda tem baile de Primavera, café da manhã esquisito com peixe e shots de bebida alcoólica, bem como um concerto de primavera com coro exclusivamente masculino (ou quase isso) e discurso acalorado pelo diretor da universidade saudando a primavera.

Foto Bengt Oberger

A tradição nos dias atuais

A celebração é conhecida como Valborg e faz com que as comunidades em toda a Suécia se reúnam ao redor de fogueiras enormes, cantando canções folclóricas para receber a primavera e espantar os maus espíritos, dançando e bebendo.

Apesar das fogueiras irem lá nas alturas tudo é muito bem controladinho, pois os bombeiros estão no local para acender e acabar com o fogo quando chegar ao final da festa.

Além de ser um tipo de celebração indicado para todas as idades, na maioria dos lugares, os quiosques de cachorro-quente estão por perto para satisfazer qualquer desejo de um sueco mais faminto.

E depois que o fogo se apaga, muitas pessoas vão para bares e restaurantes ou festas de amigos. O fato é que a Noite de Celebração de Valborg é seguido até o dia Primeiro de Maio – um feriado público na Suécia desde 1939 – o que significa dizer que as pessoas podem festejar à noite toda e sem se preocupar em ter de trabalhar no dia seguinte. Pelo menos para aqueles que podem se dar ao luxo de fazer isso, né?

O diferencial de Gotemburgo

Assim como Lund e Uppsala têm jeitos mais diferentões de celebrar, a cidade de Gotemburgo conta com algo exclusivo também: o Chalmerscortègen, em português o cortejo da Chalmers.

O cortejo é tipo um grande desfile e festança pelas ruas de Gotemburgo e foi criado pelos alunos da Chalmers Tekniska Högskola (Chalmers University of Technology). Nem preciso dizer que o pessoal se diverte ao cubo, né? Eles desfilam suas próprias engenhocas malucas e satirizam um montão de notícias que apareceram na mídia no último ano.

Chalmerscortegen-22

Eu já tive a oportunidade de ver e se você quiser conferir de pertinho hoje é o dia, hein? Mas se você está a milhas e milhas de distância eu deixo uma palinha para você no texto Chalmerscortègen: paródia nas ruas de Gotemburgo.

Chalmerscortegen-30

Como se comportar como um verdadeiro morador

Quer participar e não sabe como? É simples! Basta apenas cantar ou fingir que está cantarolando junto com a galera ao redor da fogueira e ser feliz. Ah, se quiser soltar a franga de vez, faça como os suecos, encha a cara.

A minha experiência com a tal da fogueira

Como seria a minha primeira vez em ver de perto a fogueira da celebração eu optei por fazer o passeio grátis e sem gastar um tiquinho de nada. Aliás, não somente eu como muita gente de Estocolmo, viu?

Quando cheguei em Gamla Stan já tinha uma galera por ali só no aquecimento e toda animadinha por ter comprado as tochas que seriam utilizadas durante a procissão.

Valborg na Suecia-2

Aliás, tochas essas para serem jogadas posteriormente lá na fogueira.

Valborg na Suecia-1

Eu fiquei naquela de compro ou não compro, mas cheguei a conclusão que seria bobagem gastar dinheiro com isso. Joguei um papo furado com os amigos e 20 minutos depois anunciaram no microfone que as tochas deveriam ser preparadas, pois o cortejo seria iniciado.

Valborg na Suecia-3

Na época eu estava bem cabeluda e ao ver as tochas sendo preparadas comecei a ficar meio tensa. Não por elas estarem acesas, mas sim pela falta de jeito e cuidado que certas crianças e adultos a carregavam. Cara, não sei o que a galera tinha, mas estava todo mundo estabanado.

Valborg na Suecia-4

Fiquei tão apavorada que procurei ficar o mais longe possível e caminhei meio que ziguezagueando entre os pequenos grupos que se formavam durante a procissão.

Valborg na Suecia-6

Pois bem. A procissão em si foi relativamente rápida e tinha tanta gente, mas tanta gente que a tentativa de chegar o mais próximo da fogueira foi abortada.

Valborg na Suecia-5

Fiquei dando uma olhada meio que de longe e só vendo o desespero que o pessoal estava para se aproximar do fogaréu.

Valborg na Suecia-7

Entre um desespero e outro, as músicas tradicionais foram iniciadas e a bebedeira e as garrafas jogadas pelo chão começaram a rolar solto. Isso era um sinal de que a gente deveria se mandar dali. E realmente fizemos isso.

Valborg na Suecia-8

Como todo mundo estava morrendo de fome decidimos ir para o O’Learys em Södermalm, um restaurante que mistura comida, bebida e esporte. Ficamos lá bonitinhos e calmos, tomando uma cervejinha, comendo um sanduichinho ou uma saladinha e jogando mais conversa fora.

De repente, não mais que de repente, quem a gente vê passar por nós em direção ao banheiro? Um dos hobbits da trilogia Senhor dos Reis. E sabe quem era? O orelhudinho do Dominic Monaghan.

Lost, Dominic Monaghan as Charlie Pace
Série de TV Lost – Dominic Monaghan como Charlie Pace

Cara, a galera da mesa foi à loucura. Todo mundo queria ir ao banheiro. Mentira! Só maridão queria ir e foi. Dá para acreditar nisso? O menino achando que o Dominic ia puxar papo com ele enquanto cada um dava uma mijadinha. Até parece, né? Mas esse ator foi tão ligeiro que quando maridão resolveu ir de verdade ao banheiro, o Dominic já estava saindo de lá. Só deu tempo deles se esbarrarem ali na porta mesmo.

Putz, fiquei doida pra tirar uma foto com ele. Mas assim como ele foi num piscar de olhos ao banheiro, da mesma maneira voltou de lá e passou por nós. Poxa, nem deu tempo de expressar qualquer forma de tietagem. E no fundo eu acho que deve ser um saco para esses atores, porque o que deve ter de gente querendo fazer isso não está no gibi.

No fim ele ficou numa parte reservada do restaurante, que nem conseguimos ver mais a sombra dele. Snif! Ok, vai! Mesmo não tendo a bendita foto para a posteridade, pelo menos tive o gostinho de vê-lo de pertinho, mesmo que por alguns segundos.

Onde ver as fogueiras em Estocolmo

Há dois lugares que eu recomendo:

Gamla Stan. O ponto de encontro é em frente ao museu do Prêmio Nobel, na Stortorget e de lá sai uma procissão em direção a Riddarholmen, onde a fogueira está. Fica bem ali ao lado da estátua do Evert Taube, aquela que mostrei nas estátuas mais fotografadas de Estocolmo.

Imagem Maxres

Horário: 20.00 às 22.00
Preço: totalmente gratuito

Skansen. A celebração principal acontece nesse museu ao ar livre e haverá coisas como concertos e discursos, que começam no período da tarde e vão até o início da noite. Mas a estrela da festa, a fogueira, só começará lá pelas 21.00.

Horário: 20.00 às 22.00
Preço: adultos SEK 150,00 – grupo  e aposentados SEK 130,00 – crianças de 6 a 15 anos SEK 60,00

Nem preciso dizer que tem uma porrada de outros lugares, né? Se você quiser conferir de perto na região de sua preferência, dê uma olhadinha em sites e jornais, ok?

Bisbilhotice extra

E por fim, só mais a título de curiosidade mesmo, hoje além de toda essa festança, tem mais um motivo para comemorar: o aniversário do Rei Carl XVI Gustaf. Esse ano ele irá celebrar o seu 71º ano de vida no Palácio Real de Estocolmo.

Portanto, Grattis på födelsedagen killen! Ou num bom e sonoro português Feliz aniversário cara!

Carl XVI Gustaf

Tá aí mais uma celebração no país dos vikings. Apesar de o Valborgsmässoafton não ter grandes emoções e sem comparação alguma com o Midsommar dá para curtir um pouquinho. Ou pelo menos para encher a cara até cair.

Vi ses… hej då! 😉

14 pensamentos

  1. Nossa, o meu blog não atualizou as suas postagens! Vou ler tudo. Mano, gente bêbada, com tochas acesas, fogo pra todo lado, tá aí, uma combinação explosiva, eu também teria me mandado rs
    Aqui na Holanda temos estas fogueiras apenas na Páscoa e somente em poucas regiões, mais próximas da Alemanha.
    Ahhh vcs deviam ter ido tietar o ator, seria legal. Acho que ele no fundo ficaria feliz com os brasileiros por não ignorá-lo hahaha

    1. Ué, vc sabia que também não tenho recebido as suas atualizações? Estranho, né? Acho que o povo aqui curte uma fogueirinha porque ainda terá mais uma ainda esse ano rs. Sei lá se ele iria curtir a gente tietando… como ele passou tão rápido acho que não queria ser incomodado, né? 😀

  2. Que post massa!

    Acompanho teu blog há tempos, te achei lá na brasileiraspelomundo…

    É ótimo conhecer um pouco mais do país onde vou morar por 2 anos!

    Obrigado, Vânia!

    Um abraço!

    1. Olá Tiago! Iupiiiii! \o/
      Fico tão feliz quando os leitores resolvem dar as caras, sabia? E que maneiro saber que você virá para cá. Só posso te desejar muito sucesso e vou torcer para que você goste do país tanto quanto eu.
      Puss! 😉

  3. Como sempre, excelente texto Vânia, a cada post um conhecimento novo sobre esse país que aprendi a admirar e que farei de tudo para conhecer…

    Beijos…

    1. Linda, iupiiiii! \o/
      Que bom que você gostou. Eu mesma morando há anos aqui sempre descubro uma coisa nova.
      E tomara que você venha mesmo e se der vamos tomar um café, um chá, uma cervejinha… ou de repente só jogar conversa fora mesmo. 😉
      Puss!

Faça a teimosa feliz. Comente!