O Dia do Trabalho e a Flor de Primeiro de Maio na Suécia

O que talvez você não saiba – e eu estou nesse bololô contigo – é que o dia Primeiro de Maio só foi reconhecido como feriado na Suécia em 1939 e por 66 anos ele foi o único feriado público no país.

Como em qualquer parte do mundo o Dia do Trabalho na Suécia também é marcado por passeatas, protestos e discursos em todo o país. Entretanto, a coisa é beeeeeem mais branda por aqui.

Primeiro de Maio na Suecia-4

Pelo que vi em Gotemburgo quando morei por lá e agora em Estocolmo é que os movimentos partidários nessa data acontecem de uma forma tão organizada e sem baderna que até dá vontade de participar.

Ainda não consigo falar com propriedade sobre os partidos políticos na Suécia, porque sinto que me falta um conhecimento mais rico em detalhes. Entretanto, confesso que me preocupo e muito com as ideias defendidas pelo partido racista e xenofóbico do país. E que inclusive está hoje, em pleno Primeiro de Maio, discursando por aí.

Preocupações à parte, tem uma coisa que eu acho interessante. Não é da data em si, mas sim do que acontece anteriormente a ela.

Durante o meu primeiro ano de Suécia eu vi algumas crianças carregando uma pastinha verde vendendo alguma coisa. E tipo assim, nem dei bola. No segundo ano de novo. Pensei. Caraca o que é isso? E foi aí que bisbilhotei e descobri o que eram aquelas pastinhas que as crianças das escolas carregavam penduradas no peito, abordando principalmente o público adulto em praças, parques, shoppings e ruas movimentadas no país. As crianças fazem nada mais e nada menos que vender a flor de Primeiro de Maio, em sueco Majblomman.

Primeiro de Maio na Suecia-6

As primeiras flores

Tudo começou com o desejo de uma mulher para fazer o bem e uma pequena flor de papel.

Lá em 1907 essa sueca porreta iniciou uma campanha bem bacanuda em Gotemburgo, a de arrecadar fundos com a venda das primeiras flores de maio para ajudar crianças que tinham contraído tuberculose. Tanto que no primeiro ano 139.000 unidades foram vendidas e com o dinheiro arrecadado a mortalidade foi reduzida em cerca de 25%.

A criadora da flor de papel

Quem teve a brilhante ideia de criar a florzinha de Primeiro de Maio foi uma tal de Beda Hallberg (1869-1945). Muito prazer Beda!

BedaHallberg

Mesmo trabalhando como voluntária em Gotemburgo para ajudar os pobres, ela achava que a sociedade poderia também fazer a sua parte. Se não fosse doando o seu tempo, talvez poderia ser financeiramente. Agora, o duro era convencer as pessoas a fazerem isso. Mas sabe aquele tipo de mulher motivada, empreendedora e que não desiste nunca? Assim era a Beda. E ela tinha um desejo enorme de ajudar principalmente jovens e crianças.

Ao criar a florzinha de papel e vendê-la por um precinho bem camarada, a Beda acreditava que todo mundo poderia comprar. Afinal, seria uma florzinha por uma moedinha. E ao fazer isso, as pessoas demonstravam que estavam contribuindo para a causa da tuberculose.

O negócio fez tanto sucesso que toda a cidade aderiu a causa. A galera usava nos casacos, nos cachecóis e nos xales e não tinha divisão de sexo ou classe social. Não não! Empresários, trabalhadores, condutores dos bondes, policiais, cocheiros… todo mundo queria mostrar que tinha contribuído para a campanha.

No fim a Beda acabou se tornando uma das principais forças na luta contra a tuberculose não somente em Gotemburgo, mas como em todo o país.

A arrecadação na nova geração

A venda das florzinhas continua firme e forte, mas é possível arrematá-la somente antes do dia Primeiro de Maio.

E claro que com o passar dos anos as necessidades das crianças mudaram e hoje em dia a venda das flores está destinada para outros fins. Só para você ter uma ideia, 80% do que é arrecado vai para melhorar as condições das crianças na Suécia. E são coisas simples mesmo, viu? Pode ser a compra de uma bicicleta, óculos de grau, atividades recreativas, alguma coisa que a criança possa dividir com seus colegas na escola ou ainda contribuir para a pesquisa sobre saúde infantil.

Primeiro de Maio na Suecia-7

A Majblommanm é considerada na Suécia como a maior organização de caridade infantil com 650 associações locais. Legal, né?

A florzinha tem tamanhos e preços diferentes e a cada ano as crianças vendem combinações de cores distintas, como essas aqui que consegui fotografar de um livro.

Primeiro de Maio na Suecia-3

A abordagem das crianças

Percebo que uma ou outra criança que é mais sapeca se aproxima e tenta fazer a venda cheia de sorrisos. Outras ficam meio sem jeito, tímidas ao extremo e ficam zanzando de um lado para o outro, só esperando o vacilo de algum adulto desprevenido ao cruzar com o olhar pidão delas.

Primeiro de Maio na Suecia-5

Ano passado foi a primeira vez que contribui com a campanha. Fui pega no supetão por duas crianças bem risonhas e diria que meio espoletas, quando estava eu bela e formosa fotografando as cerejeiras de Kungsträdgården.

A abordagem foi tão bonitinha que fiquei toda derretida. Elas queriam que eu comprasse a florzinha das duas, mas como raramente ando com grana na carteira, já que aqui tudo se paga com cartão ou celular, eu não tinha como fazer isso.

Fucei na bolsa e achei apenas míseras 20 coroas suecas e falei que só poderia ajudar uma. E foi aí que eu me surpreendi quando uma das crianças falou assim: “Então, compra da minha amiga porque ela não vendeu nenhuma hoje”. Fiquei com aquela cara de besta, sabe? Achei um gesto bem bonito das crianças se ajudarem.

Primeiro de Maio na Suecia-1

Terminei de tirar as fotos e voltei para casa com a flor de papel nas cores escolhidas para 2016: o lilás com azul.

Primeiro de Maio na Suecia-2

Gostei de ter tido essa experiência e mesmo depois de tantos anos morando na Suécia, vejo que tem bastante coisa para aprender. Isso sem dizer que ainda virão muitas primeiras vezes, né?

Vi ses… hej då! 😉

———-

Observação: Para quem tem interesse em saber mais sobre a Majblomman as informações estão disponíveis no site www.majblomman.se

13 thoughts

  1. A suecia nao cansa de me surpreender. Esrou ansiosissima pela minha partida para aí. Cultura tão recheada de maravilhas. Obrigada por compartilhar temas culturais conosco.
    Vi ses 💖

  2. Que delicia esse post!!!!
    Viajei na história junto com você!
    Comprei de uma menininha no mesmo lugar esse ano pela primeira vez tb! 🙂
    Beijos!!!!!

Faça a teimosa feliz. Comente!